quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Sobre uma oração de livramento!


Senhor és tu quem nos livra de todo mal, inclusive fortalecendo-nos contra aqueles que nós mesmos provocamos. Sei que o mundo está repleto de tantas coisas ruins: mentira, engano, violência, falta de amor, desvalorização do ser humano, da família, dos relacionamentos pessoais; sem falar, meu amado Senhor, daqueles males que nos agulham do lado de dentro, com pensamentos ruins que tentam nos empurrar ao precipício. Ah Senhor, livra-nos também destes sentimentos ruins. Queremos ser como a garça, que mesmo, às vezes, tendo que procurar seu alimento em lugares cheios de lama, sai de lá limpa como entrou. Ajuda-nos a ter um coração limpo, sem mácula e sem maldades. Renova em nós o teu amor e a tua paz para que façamos o bem que sempre nos ordenastes. Amem.

Thiago Mendes

Sobre encarar o inevitável!


Viver é seguir pela estrada de uma mão só. Embora haja curvas, subidas, ladeiras e pontes com travessias perigosas – só há espaço para ida. O pior é que neste caminho muitas vezes incerto e perigoso, acabamos, em alguns momentos, nos encontramos com o inevitável. Ele, de vez em quando, se manifesta em forma de uma profunda decepção com alguém, ou uma perda, talvez a descoberta de uma doença incurável ou a falência financeira. Não importa em que ponto do caminho estamos agora. A verdade é que em algum momento o inevitável se manifestará. Aí não há uma maneira de voltar atrás ou como tentar minimizar os seus efeitos. Tudo que podemos fazer é encará-lo de frente entendendo que a vida - esta estrada de mão única - é feita de fases, e todas, mesmo as mais difíceis, são importantes. Quando o inevitável acontece temos o direito de chorar, de lamentar os momentos não vividos, de fazer as mil perguntas que surgem em nossa mente, mas jamais poderemos voltar atrás. Difícil este sentimento de impotência diante de algumas situações. O importante é aproveitar bem este momento que estamos vivendo agora. E quando o inevitável vier, iremos encará-lo de frente, entendendo que até ele, tem o seu lugar neste caminho. 

Thiago Mendes

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Sobre as confissões do pastor!


Hoje decidi abrir o baú dos meus lamentos. Falo, sem temores, a cada leitor como sendo um companheiro de batalha. Eis-me aqui: desanimado, cheio de dores, frágil como uma borboleta, venenoso com uma víbora. Reconheço minhas culpas, mas também não paro de buscar culpados. Reconheço meus progressos, mas insisto em me perguntar onde estaria se a estrada tivesse sido diferente. Lamento a solidão, mas não tenho sido capaz de valorizar os poucos ainda bons relacionamentos que me restaram. Não tenho tido paciência com as diferenças - o que faz de mim alguém pesado e, por muitas vezes, inconveniente. Minha alma flutua entre discursos: “Nunca estive tão bem, muito obrigado”, ou, “nunca estive tão mal, socorro”. Julgo-me sempre ocupado, a fim de me sentir importante, mas na verdade não tenho quase nada para fazer. Escrevo esses textos rasos para os jornais, faço meus programas nas rádios onde trabalho, falo nesta ou naquela igreja - sempre impaciente, querendo vir logo embora. Meu telefone raramente toca, e quando isso acontece, ou é algum ouvinte mais solitário que eu que dá explicações sobre onde conseguiu meu telefone pessoal que nunca entendo direito, ou minha mãe brava ou preocupada com alguma situação. De vez em quando algum jornalista sem nada de interessante pra dizer entra em contato querendo uma entrevista com as mesmas perguntas de sempre: “Onde consegue inspiração para escrever textos tão profundos todos os dias?” O que respondo: “Na minha família, meu relacionamento com os filhos, minha esposa ou no trabalho. Não sei bem, as ideias simplesmente surgem”. A verdade: “Textos profundos?! O que esse cara anda lendo por aí? Santa paciência”. Depois: “Quando podemos esperar um novo livro?” O que respondo: “Em breve, estamos trabalhando para isso, há uma expectativa muito grande”. A verdade: “Que livro? Nem sei sobre que vou falar, não há nenhuma frase pronta sequer e não tenho tido o menor ânimo para começar”. Quando alguém vem, quero que vá; e quando vai, gostaria que viesse. O que ainda me alegra é ficar aqui da janela do escritório vendo os meninos lá embaixo jogando bola ou brincando no parquinho. Às vezes desço, me aventuro um pouquinho com eles, mas logo volto aqui para dentro, pego o livro que estou lendo e vou curtir a minha egoísta solidão. Tudo bem. Bobagem. Vai passar. 

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Sobre armas polidas e comportamentos arranhados!


De vez em quando o Soldado da Paz sai para dar uma volta pelo acampamento a fim de observar o comportamento dos companheiros. Logo percebe que um de seus mais jovens guerreiros está concentrado polindo a espada e o escudo. O Soldado da Paz caminha, conversa com companheiros e quando volta o rapaz continua fazendo a mesma coisa. “Passei por aqui há um bom tempo e já estava polindo suas armas. Porque tanta preocupação?”, perguntou o líder em tom amável. O rapaz falou sem tirar os olhos de seu armamento. “Sei que a batalha chegará logo e quando elavier estarei com meu escudo e minha espada impecáveis”, diz sem dar atenção. O Soldado da Paz tem olhar desapontado: “Do que valerá se suas armas estiverem prontas, mas você não? Não adianta ter armas boas se seu comportamento não é bom”. O Soldado da Paz se levanta e volta à tenda. O rapaz não diz nada. Talvez tenha aprendido a lição, mas desapegar das aparências jamais será uma tarefa fácil. 

Thiago Mendes

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Sobre a bússola do amor!


Hoje é dia de abrir as janelas, pousar um sorriso e sair para a vida. Nada de alimentar dores ou tentar ressuscitar o passado com suas picadas venenosas. Nada de palavras ríspidas a quem dizemos amar ou nossa agressiva indiferença aliada do silêncio que diz claramente: “Eu não me importo!” Que hoje você se disponha a seguir adiante, sem se esquecer que o amor é a bússola que não nos deixa errar e, se erramos, ele nos trás de volta e nos devolve ao caminho certo. Menos gritos – a não ser aqueles de alegria e comemoração; menos críticas – a não ser aquelas que fazemos para medir nossos próprios comportamentos. A vida é tão curta. Não há tempo para medir forças. Temos tão pouco a compartilhar. Se envenenarmos a água do poço, também morreremos de sede. É simples, mas é de coração.

Thiago Mendes

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Sobre você, um pontinho no meio do universo!

Você é um pontinho minúsculo no meio de uma bola. Pense comigo: esta bola gira em torno de outra que vagam perdidas no meio de algo que chamamos de universo e que ninguém sabe onde começa ou onde termina. Neste universo há milhões de outras bolas gigantescas que passeiam imponentes pela imensidão do infinito, sem falar em seus cometas, buracos negros, asteroides e galáxias inteiras que ainda nem conhecemos. Mas vamos ao que interessa. Aqui está você, sentado nesta cadeira: pequeno, preocupado, apaixonado, esperançoso, com raiva, cheio de sonhos, meio chateado, feliz, com coisas pra fazer, cansado, com vontade de provocar algumas mudanças urgentes, cheio de dúvidas, enfim, vivo. E é por tudo isso que digo que, embora o universo seja tão grande, ele jamais seria o mesmo sem você. 

Thiago Mendes

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Sobre quando os anjos desaparecem!


De vez em quando o Arqueiro deixa de ouvir a voz de seu anjo. Tenta invocá-lo, faz exercícios espirituais, se isola por alguns momentos, mas nenhuma resposta é data. Depois de dias e, a ponto de entrar em desespero, o guerreiro celestial reaparece. “Onde esteve por todos estes dias? Achei que não o veria e ouviria mais!”, diz o Arqueiro. O anjo responde em tom severo. “Não adianta me chamar com os lábios e me expulsar com suas atitudes. Você está tão envolvido com os treinamentos e com o trabalho que tem se esquecido do mais importante: o relacionamento. Reveja suas estratégias, pois pode estar bem treinado, vencer todas as batalhas, mas mesmo assim terminar derrotado”. O Arqueiro entende o recado. Não adianta ganhar o mundo inteiro e perder sua própria alma. 

Thiago Mendes

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Sobre o guerreiro solitário!


Às vezes o Soldado da Paz se sente só e profundamente angustiado. Depois de ter se levantado com este sentimento estranho, o guerreiro vaga pelo campo em busca de paz e alívio para sua alma. Só depois de caminhar solitário durante um bom tempo e perceber que a angústia piorou, decide voltar ao interior da tenda. É ali que dobra seus joelhos e busca alguma resposta dos Céus. Nada acontece. Não aparecem anjos - como os antigos diziam; não vê uma luz brilhante à sua frente; não ouve uma voz confortadora – dizendo que ele precisava mesmo passar por tudo isso e que depois as recompensas fariam valer a pena. Embora o guerreiro não acreditasse mais em nada disso, sempre esperava que algum dia iria acontecer algo que provaria que ele está errado: “anjos existem, luzes aparecem, vozes tranquilizadoras soam do além”. Mas nada. Nenhum som. O guerreiro solitário permanece ali por mais algum tempo, até que percebe que a angústia desapareceu. E, embora não tenha visto anjos e luzes ou ouvido vozes, sabe que foi visto, ouvido e iluminado durante aquele momento. Ele descobriu que às vezes não enxergamos nada, mas mesmo assim precisamos crer que alguém se preocupa se estamos ou não felizes. O guerreiro está renovado e preparado para o combate. 

Thiago Mendes

Thiago Mendes e equipe na Comunidade Cristã Santidade ao Senhor!

Neste domingo, (16), o pastor e escritor Thiago Mendes e equipe estiveram na Comunidade Cristã Santidade ao Senhor, no Jardim América em Goiânia. Com uma equipe de música completa e uma ministração forte, ressaltando a importância de vivermos na graça de Deus, Thiago Mendes explicou que a graça leva àqueles que começaram mal a terminarem bem. “Não importa a condição com que você tenha começado. A graça nos permite recomeçar e nos leva a terminar bem”, disse. As próximas agendas serão no dia 02 de março, na Igreja Geração Eleita, dia 09 na Batista Vida Nova, Bela Vista de Goiás e Piracanjuba, respectivamente.














quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Sobre os portões da eternidade!


Não tenha medo do tempo... Acredite, ele só passa para aqueles que ainda não entenderam o significado da palavra amor. Eis o sentimento que abre os portões da eternidade. Não tenha medo da solidão... No momento certo as sementes que lançamos ao longo da vida virão e nos farão companhia. Não tenha medo do amanhã... Ele, embora incerto, jamais poderá nos trazer alguma prova que não sejamos capazes de suportar. Não tenha medo dos sonhos ruins... O rio que divide o território entre o mundo real e o mundo dos sonhos é extenso e perigoso. Provavelmente os fantasmas de lá jamais conseguirão chegar até nós. Abra as janelas, o dia está lindo hoje. Deixe o vento e a luz do Sol passear por cada cômodo. Sim, que eles tragam esperança e levem embora os fantasmas dos sonhos ruins caso eles tenham conseguido atravessar o rio.

Sobre as nossas contradições momentâneas!


O Soldado da Paz já duvidou da sua fé. O Soldado da Paz já teve medo de encarar a sua condição espiritual. O Soldado da Paz já negou com atos, tudo aquilo que ensinou com palavras. O Soldado da Paz já agiu quando deveria esperar, e esperou quando deveria agir. O Soldado da Paz já se irritou, quebrou coisas, e depois sentiu vergonha de si mesmo. O Soldado da Paz já guardou sua espada em um velho baú e prometeu que jamais a tocaria. O Soldado da Paz já deixou de cumprir promessas que fez a si mesmo. O Soldado da Paz já cometeu erros repetidos. Mas ele descobriu que todas as batalhas que enfrentamos servem para alguma coisa, inclusive aquelas que não vencemos.

Thiago Mendes

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Sobre o pássaro, o deserto e nossas almas cansadas!


Senhor, mais uma vez, necessitado, recorro a Ti: refúgio, socorro e salvação. Minha alma sente-se angustiada, como um pássaro que voa em um deserto, sem lugar para pousar. Sim, meu amado Senhor: como este pássaro cansado que precisa parar um pouco a fim de ter suas forças renovadas, mas sabe que se pousar na areia quente irá se queimar, então segue voando sem enxergar um galho sequer. Assim está minha alma que vaga sem rumo - sem encontrar descanso. Talvez a vida tenha se tornado exigente demais e nossas vaidades acabaram por ouvir o seu apelo. Rendemos-nos facilmente, entregamos nossos punhos às suas algemas e agora tornamo-nos escravos de nossas próprias decisões. Amado Senhor, não quero mais agradar aos meus desejos insanos e insaciáveis. Sei que posso descansar em Ti e em seus galhos repousar a minha alma. Amem!

Thiago Mendes 

domingo, 9 de fevereiro de 2014

Sobre a identidade do inimigo!

Eu sou seu sonho distante, sua mentira mais real. Sou uma bobagem destas que a gente pensa ou fala no meio do dia e logo se esquece. Sou sua brisa suave que surge no meio do nada e que do nada desaparece para que talvez um dia torne a voltar. Eu sou sua certeza mais duvidosa, seu abrigo mais perigoso, seu sorriso mais triste e sua imaginação mais pífia. Sou os traumas da sua infância, os vultos da sua escuridão e o amigo que você nunca teve. Sou as promessas que ouviu, as mentiras em que acreditou e as decepções que não foi capas de esquecer. Sou sua dor silenciosa, seu prazer mais superficial e as lágrimas da sua culpa. Despreze-me, me jogue ao chão, me humilhe, massacre meus brios com seus pés. Saiba apenas que estarei com você depois, na solidão do seu alívio. 

Thiago Mendes

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Sobre a mulher e suas novas decisões!


A Mulher de Fé descobriu que os tesouros mais importantes do mundo são aqueles que ela já possui. Chega de buscas incessantes e irresponsáveis. É hora de olhar para a sua volta e agradecer aos Céus por tanta bondade e tantas bênçãos. Já se sentira vazia mesmo tendo tudo. Já desprezou o que tem e tentou buscar o que não lhe pertence. Já alimentou suas emoções com amargas ilusões; mas hoje descobriu que nada é mais importante que o necessário. Concentrará seu amor naqueles que vivem ali, dentro do seu ninho. Nada de ficar admirando paisagens distantes, mas que, apesar de serem boas aos olhos, não podem fazer nada pelo bem da vida. A Mulher de Fé aprendeu algo importante: não podemos permitir que a carência nos faça abrir a porta para qualquer estranho entrar. “Há um lugar em minha vida que só pertence a mim e a meus amores”, pensa enquanto sorri. 

Thiago Mendes

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

Sobre as nossas fraquezas!


Já é tarde da noite e o Soldado da Paz ainda está reunido com seus homens. Todos estão sentados em volta da fogueira e cada um deverá compartilhar uma fraqueza. “Todas às vezes, antes de entrar em combate, penso em fugir”, disse o primeiro. “Temo a dor e a morte”. O segundo guerreiro mexe no fogo, depois fala. “Minha fraqueza está nas mulheres. Muitos pensamentos impuros ocupam minha mente quando sei que deveria pensar mais em minha missão. Já feri meu próprio corpo tentando me livrar, mas não fui capaz”. Nenhum comentário. O terceiro sinaliza que deseja falar. “Tenho dificuldades de me desapegar. Sei que devemos entender que algumas pessoas têm um papel momentâneo em nossa evolução, e que em algum momento deverão partir. Eu não entendo. Não libero. Sofro, tento segurá-las e acabo atrapalhando suas vidas e a minha”. Neste momento o Soldado da Paz fica de pé. Seus companheiros o observam com atenção: “Todos nós temos medo da dor e da morte”, diz. “A dor e o desconhecido sempre serão motivos de pavor. Sobre as mulheres, devemos aprender que há algumas coisas em nossas vidas que, ou as dominamos ou acabaremos sendo dominados por elas. Quanto mais pensarmos no motivo pelo qual estamos aqui, menos nossos pensamentos voarão sem rumo. E sobre não desapegar, digo apenas que devemos entender uma coisa: tudo vem com um propósito e vai por alguma razão”. Neste momento os guerreiros se levantam e vão para suas tendas. A lua e a fogueira continuarão ali. Mas até elas certamente tem as suas fraquezas. 

Thiago Mendes

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Sobre os melhores momentos de nossas vidas!


Infelizmente não levamos tão a sério os melhores momentos de nossas vidas. Aquelas coisinhas mais simples do nosso dia, sabe? O desenho mal-pintado do filho que vem nos mostrar transbordante de empolgação, ou aquelas tardes lindas de sol na fazenda, lembra? Onde estávamos nós? Onde estávamos nós enquanto os pássaros cantavam longe e enquanto as águas do riacho no fundo de casa faziam a sua mágica viagem até o oceano. Onde estávamos nós enquanto as estrelas enfeitavam as noites e a lua alterava seu formato para que tivéssemos sempre algo novo a observar? Onde estávamos nós enquanto o relógio trabalhava e a vida acontecia? O tempo passou. Tanta coisa passou. 

Thiago Mendes

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014


Sobre a árdua missão de nos dar amor!


Em algum momento a vida entrega a alguém a árdua missão de nos fazer felizes. Imagina. Nós e nossas inconstâncias emocionais, nossas inseguranças, as acusações sem fundamento – como se o outro que gratuitamente decidiu nos amar – ou que foi pego pela teia do amor e não resistiu a ela, tivesse que experimentar todos os nossos venenos sem que seus sentimentos fossem afetados. Sejamos sinceros: não somos pessoas fáceis. Na maioria das vezes nossas exigências são implacáveis, e temos a tendência de ser exageradamente pacientes com nossos erros, e irredutíveis quanto aos erros de quem foi colocado nesta vida a fim de nos dar amor. Que possamos compreender mais, aceitar mais, ceder mais. Se assim fizermos, certamente estaremos mais próximos de fazer com que sejam felizes aqueles que receberam a árdua missão de nos dar amor. 

Thiago Mendes 

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Thiago Mendes na Igreja de Cristo em Células do Finsocial

Neste domingo, (02), o pastor e escritor Thiago Mendes esteve na Igreja de Cristo em Células do setor Finsocial, liderada pelos pastores Clodoaldo e Ivone e ministrou nos cultos das 17 e 19:30hs. Com a igreja completamente lotada nas duas reuniões, Thiago Mendes falou sobre cura na alma e o agir de Deus na história. “A igreja é muito viva e sarada espiritualmente. Um ambiente muito bom”, declarou. A Igreja de Cristo em Células tem como visão o modelo do MDA e tem crescido rapidamente. No próximo domingo Thiago Mendes e toda a equipe estará na igreja Geração Eleita, também na Capital.








Sobre a vida e o momento!

Tudo nessa vida é emprestado, usual, casual, transitório, passageiro, efemeramente temporal, enfim - somos inquilinos prestes a sermos ...