terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Sobre os ventos favoráveis!

São três horas da manhã quando Jávier, o aluno, sente seu corpo balançar na cama. É Alíh, seu guia, que o chama com empolgação balançando-o.Vamos, acorde garoto, precisamo aproveitar este dia ao máximo, muito a ser feito. O Jovem senta-se na cama e tenta perceber o que está acontecendo.Não nada de diferente, é ainda muito cedo, está tudo escuro fora e não lembro-me de termos combinado nenhuma atividade especial hoje. O velho não ouvidos.Levante-se logo, hoje temos um vento à nosso favor, diz. O rapaz sai da cama cambaleando.Não ouço barulho de vento nenhum e está frio fora. O velho novamente desconsidera seus argumentos e os dois saem juntos caminhando pelo quintal.Alguns dias são favoráveis a nós, e as coisas simplesmente acontecem com mais facilidade, diz o guia.E nestes dias, prossegue,precisamos estar atentos para aproveitar cada presente que a vida generosamente decidiu nos dar. Quando Jávier vai contestar, eles ouvem o barulho de um Javali preso à armadilha armada na noite anterior e que jamais havia dado certo. Ele esquece o comentário e vai de encontro ao animal. Alguns dias realmente parecem ser mais favoráveis e precisamos saber aproveitá-los!

Thiago Mendes

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Sobre a mulher de fé e seus sonhos!

A Mulher de acredita em seus sonhos! Ela confia na força de Quem lhe guia e é por este caminho que deseja seguir sempre! Claro, ouve momentos de dúvidas e desânimo, mas estes momentos não foram capazes de impedir sua permanência na estrada que lhe conduz ao seu sonho. Foi em um destes momentos delicados que a Mulher de aprendeu a confiar ainda mais. Ela descobriu que confiança gera esperança. Neste caminho é impossível ir a diante sem que a confiança seja parceira a cada instante. A Mulher de sabe a hora certa de renovar suas forças e seguir em frente. Ela vai tirando de cada obstáculo uma nova lição - de cada prova, uma nova possibilidade de se preparar melhor. “A vida é sempre generosa”, pensa e ela, “o problema é que nem sempre somos sensíveis o suficiente para percebermos de que forma esta generosidade está se materializando em nós”.

Thiago Mendes

sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

Sobre sempre querer mais!

O ser humano vive em constante agonia buscando honra e aceitação. O pior é que esta busca pode acabar por transformar-se em escravidão e possessão a quem a busca e a quem assiste ao pobre agoniando-se insatisfeito com os presentes que a vida, gratuitamente já lhe deu. Nossa alma faminta e insatisfeita, aliada aos padrões de exigência que jamais poderão ser alcançados, fez de nós pessoas incapazes de ver todas as bençãos que nos cercam, sempre em busca de mais e mais, come comes existenciais, insaciáveis em nossas megalomanias. O Soldado da Paz precisa parar um pouco todos os dias e agradecer. Temos muitos motivos para isto, e se não somos gratos é porque já estamos tão contaminados pela busca incessante ao “sempre mais” que já deixamos de perceber o quanto a vida tem sido generosa para conosco.

Agradeça,

Thiago Mendes

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Sobre tudo que eu precisava saber!

"Uma boa parte do meu trabalho como pastor está ligado à morte e aos mortos. O quarto de hospital, o cemitério, os ritos finais. Estas coisas terminaram por moldar a minha vida de uma maneira muito diferente. Eu já não fico tanto tempo pensando que a grama está alta, nem engraxo meus sapatos de modo que fiquem brilhando como espelho. Eu já não buzino quando o sinal abre, e o carro da frente não anda. Tampouco fico preocupado em matar aranhas que fizeram suas teias na minha igreja”. “Muito pelo contrário: quando tenho um tempo livre, vou até a Taverna Búfalo, e escuto a banda que está tocando. Um índio pede silêncio, nos olha, e diz: ‘o que vocês estão esperando? Venham dançar!’” E eu vou. Danço e me divirto. Sem nenhuma sensação de pecado”.
De Robert Fulghum (em Tudo que eu precisava saber aprendi no jardim de infância):
O texto não é meu, mas a história tem um pedaço de cada um de nós.

Thiago Mendes

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Sobre os perigos da euforia!

“O demasiadamente eufórico está sempre fazendo mal a si mesmo e a quem quer que, estando por perto se torne vítima de sua euforia”. Esta foi a primeira frase de Álih, o mestre, na aula de hoje. Jávier, seu aluno, contesta: “O senhor já disse que a euforia é um ótimo remédio para algumas doenças da alma como depressão, tristeza aguda e desânimo constante”. “Sim”, responde o velho, “mas qualquer remédio em dose exagerada se transforma em veneno. A maioria das coisas boas na vida, se forem experimentadas em doses muito altas, fazem mal. Há boas amizades que nos sufocam, bons empregos que roubam a nossa vida toda, um bom vinho que, se não apreciado com cuidado se transforma em escravidão. Não é porque uma coisa é boa que não possa fazer mal”. Jávier espera alguns segundos antes de fazer sua última pergunta:  “E a partir de que momento a euforia começa a nos prejudicar?”. O velho caminha para um lado e outro: “A partir do momento em que ela começa a se transformar em ansiedade e em cobrança exagerada”. Jávier ouve com atenção e entende o recado. Tem estado muito eufórico e empolgado com o aprendizado e precisa se controlar, antes que o bem comece a lhe fazer mal.

Thiago Mendes

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Sobre o meu caminho!

Hoje estou afim de um encontro comigo mesmo. Quem sabe consiga ver-me passar por alguma rua solitária de minha alma movimentada e possa dar-me um oi?! Às vezes, me sinto tão longe de mim que acabo me desconhecendo. Em alguns dias esqueço meu próprio idioma e digo coisas que eu “em meu juízo” jamais falaria. Hoje talvez eu precise de um particular com o Thiago Mendes, ou talvez apenas com o menino Thiago. Preciso urgentemente olhar em meus olhos e perguntar-me: “Qual é a sua, ficou maluco, foi? Se esqueceu de quem eu sou? Ou melhor, esqueceu quem você é?” Preciso me lembrar da estrada que me leva de volta à minha casa. Estou como um bêbado amazônico que foi beber na venda que fica no meio da mata e se perdeu ao voltar no meio da noite. Se alguém encontrar-me por alguma rua qualquer, por favor, diga que estou procurando a mim e peça-me para voltar para casa. Estou com saudades de mim! Sinto minha falta, do meu jeito menino, meio bobo com cara de esperto e dizendo a todos o que seria melhor se fizessem, mesmo sem dizer uma palavra. Tenho saudades do eu mais amigo! Por favor, se você que me lê no Diário de um Soldado tem um mapa que possa levar-me de volta aos porões mais limpos da minha alma, faça a gentileza de entregá-lo a mim antes de anoitecer. À noite, o meu caminho de volta seria muito mais difícil.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O evangelho da alma!

Uma carta aos amigos pastores
A grande maioria de nós, pastores e pastoras de igrejas, sofremos com um problema que deve ser levado a sério: falamos muito e ouvimos pouco. Às vezes temos que pregar várias vezes ao dia para muitas pessoas e o pior é que nem sempre estamos preparados para tantas palavras. É aconselhamento pela manhã, visita à tarde, uma pregação à noite e isso sete dias por semana, nos esquecendo que até Deus descançou. Será que nós também não necessitamos e merecemos? Em alguns momentos mesmo sem ter nada à dizer, somos quase “obrigados”, ou pela falta de pessoas que possam nos ajudar na obra ou até pela dificuldade que temos de dividir funções na igreja. O grande problema que se instala é que além de nos enfrequecer pelo fato de falar muito e ouvir pouco, nossas ovelhas também vão se enfraquecendo na medida em que a qualidade do alimento diminue. Igreja enfraquecida, pastor triste e frustrado! Só que ao invéz de procurarmos ajuda e apoio em algum servo ou serva de Deus que possa nos direcionar, geralmente começamos a pregar o “evangelho da alma”, despejando nas ovelhas os nossos sentimentos, o cansaço causado pelo excesso de trabalho, nossas lutas financeiras, e o rebalho que já está fragilizado pela falta de qualidade do alimento vai à quase ruína total e só não é aniquilado completamente por causa da misericórdia de Deus. Muitos pastores estão erroneamente anunciado o evangelho amargo de suas lutas diárias e, sem ter com quem desabafar, muitas vezes desabafam nos púlptos das igrejas que, em razão disto, adoecem cada vez mais. Devemos entender que caminhar sozinhos é um grande erro. Quanto mais isolados e solitários, mais pregadores do evangelho da alma nos tornamos. Precisamos ter amigos, de preferencia outros pastores, com quem possamos nos abrir e nos fortalecer. A igreja suga muito: nosso psicológico, espiritual, familiar, nosso tempo, e dificilmente algum irmão vem até nós para nos perguntar se estamos precisando de alguma coisa. Alguns acham eu somos anjos! Mas a verdade é que somos gente; que sofre, que chora, que tem fraquezas, necessidades em todas as dimenções da existência humana, carências, medos.  Há pastores que estão com seus casamentos arruinados, com suas vidas afundadas e não têm ninguém com quem possam simplesmente e pelo menos se abrir. Meus amigos pastores, é tempo de sair da caverna, criar laços e buscar novos relacionamentos com pessoas que nos aproxime do propósito de Deus. Fazer amigos é um grande remédio para quem está no altar ajudando a todo mundo, mas que muitas vezes não tem ninguém com quem possam contar de verdade. Ter alguém a quem possamos chamar de “meu amigo” é muito importante para quem vive para levantar os outros, afinal há um amigo mais chegado que irmão.

Thiago Mendes

Escrito originalmente para a Revista Golpel Plus.

Sobre a arte da demagogia!

O demagogo é aquele que é capaz de expressar com aparente sinceridade algo que está distante do seu próprio coração. Não há nada que para este não seja possível, mesmo que suas possibilidades sejam existentes apenas no campo de sua irrealidade.  O demagogo leva o outro a acreditar naquilo que nem mesmo ele acredita e é capaz de conquistar qualquer desatento apenas baseado em suas falsas verdades. Demagogia é uma arte que dura até que a tinta rala de suas figuras comecem a desbotar. Com o tempo todas as verdades são manifestas e é aí que o demagogo fica a pé, quase sem a quem enganar e impossibilitado em todas as dimensões de seguir em frente com seus bonecos de pano. O artista demagogo tem espaço em todas as áreas da sociedade: na política, na religião, no amor, em tudo. Onde há um tolo para acreditar, sempre haverá um demagogo para enganar. Suas armas são de cera, os seus dentes são de plástico, suas vozes são arrotos, e seus sonhos são de brisa.


Thiago Mendes

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Sobre a mulher, seus desejos e seus conflitos!

vai ela...Vai porque é feliz, porque é livre, porque nasceu para ir, nasceu para a liberdade, nasceu para a vida. Tem tudo para ser a mulher mais feliz desse mundo. Às vezes, imagina que é. Às vezes, tem certeza que não. O deserto se tornou quase insuportável, a areia está quente. Os ventos desérticos queimam a beleza e seu rosto e o faz ficar decaído. Muitas lutas vieram nos últimos dias e o inimigo parece não dar trégua. Ela é forte. Espada na mão, cansaço nos olhos, na vida e certeza de conquista. Às vezes vontade de parar, pois não parceiro nesta caminhada para dividir nem pão nem água e isso faz com que a jornada se torne mais longa. Ela está e caminha pelo infinito do deserto. Ouve uma grande tempestade de areia no meio da noite e o cenário da viagem mudou mais uma vez, mas isso não importa, pois o destino é sempre mais importante que o caminho que usamos para chegar até ele. vai ela... Triste por saber que está e feliz por haver ainda um pouco de esperança. E assim ela vai, seguindo seu destino, caminhando rumo ao além, cheia de vida e isso faz com que se sinta muito melhor. Durma em paz, amada, pois amanhã nascerá um outro dia e a batalha ainda não acabou; existe um deserto a ser transpassado. com Deus, pois Ele conhece o infinito desta areia chamada VIDA.

Thiago Mendes

Sobre a coragem!

A coragem é um ato de nobreza e precisamos dela tanto para iniciar quanto para encerrar ciclos. A coragem que diz ao guerreiro: "Vá ...