quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Sobre a revolta do destino!

Às vezes o destino se revolta e decide fechar todas as portas ao mesmo tempo. Buscamos luz, mas apenas as trevas parecem reinar soberanas. Buscamos um caminho, mas nenhum deles parece confiável. Contamos as dificuldades de nosso momento a algumas pessoas, mas elas estão preocupadas com as dificuldades delas. Aí começamos a buscar culpados: alguém que não surgiu em meu caminho; uma oportunidade que não recebi; uma injustiça que sofri, mas a verdade é que não existem culpados. O destino se revoltou e mexeu em tudo de uma vez, mas logo ele deve se acalmar. Um dia, afinal, os ventos mudam e acabam soprando a nosso favor. É só ter calma e esperar o momento exato. Não podemos mudar os caminhos do vento, mas certamente podemos mudar os nossos.
Thiago Mendes

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Sobre a esperança!

Um guerreiro sabe esperar, porque sabe o que está aguardando. E enquanto espera, não deseja nada, e desta maneira, qualquer coisa que receber – por menor que seja – é uma bênção. O homem comum se preocupa em demasiado por querer aos outros, ou ser querido por eles. Um guerreiro sabe o que deseja, e isso é tudo em sua vida. O homem comum gasta o presente agindo como ganhador ou perdedor, e dependendo dos resultados, transforma-se em perseguidor ou vítima. O guerreiro, por outro lado, preocupa-se apenas com os seus atos, que o levarão ao objetivo que traçou para si mesmo.

Thiago Mendes

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Sobre renovar as armaduras!


Depois do combate o Soldado da Paz renova suas armaduras. Afia a espada, repara as brechas abertas em seu escudo e molda o capacete. Aí o guerreiro pega lenha, faz uma fogueira e vai conversar com seus companheiros. Eles sorriem, contam histórias de combates passados, observam juntos a sabedoria das estrelas e também sentem-se renovados. Eles sabem que assim como o ferro afia a espada, um amigo afia o outro.

Thiago Mendes

domingo, 25 de janeiro de 2015

Sobre o caminho pra felicidade!


Alimentem a fé. Nunca se esqueçam de que é dela que os justos sobrevivem. Alimentem as boas amizades, pois é de bons amigos que se constrói um reino forte e permanente. Lembrem-se de que o espírito é alimentado à base de meditação e verdades espirituais. Já a alma, é alimentada com relacionamentos humanos, abraços, elogios e motivação. Alimentem também os seus sonhos e façam isto se dedicando a eles. Alimentem seus amores amando-os sem receios e sem reservas. Só assim se pode ser pleno. Só assim se pode ser feliz. Quando vocês tiverem medo, lembrem-se da eternidade. Lá, tudo ficará bem. E quanto sentirem saudades, lembrem-se dos momentos passados, eles, certamente ajudarão a suportar. Quando pensarem em desistir de tudo, lembrem-se das promessas que fizeram a si mesmos e aos outros. Assim, talvez as chamas reacendam aí dentro. E quando todos estiverem contra vocês, avaliem seus comportamentos. Pode ser que eles não estejam contra, mas apenas vendo algo que só vocês não conseguem ver. Vivam sem pesos. Perdoem. Amem o máximo que vocês puderem.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Sobre os extremos da vida!


E assim eu vou vivendo. Repleto destas minhas certas indecisões. Nem tão longe, nem tão perto. Nem tão louco, nem tão são. Nem tão ébrio, nem tão sóbrio. Confesso que só vivo porque tenho aprendido a amar. E é o amor que nos empurra, nos puxa e nos equilibra nesta corda bamba que se torna a vida. Ontem herói, hoje vilão; amanhã só Deus sabe. Não estejam tão certos da minha inocência, nem me joguem com tanta dureza na parede chapiscada por seus julgamentos. Nem tão rápido, nem tão devagar. Enquanto não decido para qual dos extremos ou vou, bem, vou vivendo aqui mesmo – onde a vida me colocou. 

Sobre os braços do infinito!

Às vezes a Mulher de Fé sente-se vulnerável como aquela folha seca que diz ao vento: “Leva-me para onde quiseres, arrasta-me sem pudores e empurra-me até os braços do infinito”. A Mulher de Fé percebe que seu coração está vazio e em busca de sentido. Ela caminha até a janela. Não está ventando lá fora. “Ainda bem”, diz para si. A Mulher de Fé acredita que em momentos assim é melhor fechar as janelas, os olhos e o coração. Ela aprendeu algo há muito tempo e decidiu guardar para si: “Nunca tome uma decisão baseada apenas em seus sentimentos, sejam eles de tristeza ou de alegria. Decida quando sua alma estiver em paz”. E agora é momento de esperar. Talvez amanhã tudo volte ao normal. E se estiver ventando lá fora, pode ser que, em paz, ela diga: “Leva-me para onde quiseres, arrasta-me sem pudores e empurra-me até os braços do infinito”.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Sobre a lealdade!

Seja leal, caro Joe. Faça bons amigos, use suas lágrimas para lavar a alma todas as vezes que isso se fizer necessário; jamais negue o estender de suas mãos quando alguém lhe pedir auxílio; reconheça suas falhas – pois assim ficará mais fácil superá-las; não dê lugar à soberba - ela chega sorrateira, disfarçada, mas pode nos transformar nas piores pessoas possíveis. Aprenda a viver e a ser feliz com o mínimo possível. Não seja egoísta. A vida aqui neste mundo não teria o menor sentido sem “o outro”. Ouça os mais velhos. Reaprenda os seus princípios. Seja leal, caro Joe. Seja leal.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Sobre dançar tango com a morte!


Eu já atravessei o inferno a nado, pisoteei seus demônios e renasci para o combate. Já passei a noite dançando tango com a morte, mas acabei acordando vivo. Já sonhei que era um pássaro e cortei os céus voando. Já amei demais, fiz juras eternas, prometi minha alma e acabei fugindo quando deveria pagar. A vida é recomeço. É sobrevivência. É a arte de negociar a fim de permanecer um pouco mais. A vida é superação. É o silêncio. É o ruído. É quando tudo começa a terminar. 

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Sobre os anos que se foram!

Eu já fui de tudo nesta vida. Até feliz. Vi os melhores anos passarem ininterruptos, como aquele trem que busca seu destino sem que possa ser impedido. E passou. Os sonhos que não vingaram, os bons amigos que se foram, os dias que passaram ligeiros. Vejam só! Já é noite. “Feche os olhos, meu filho. Sonhe com os anjos. Durma com Deus”. Mas o próximo dia não vem. A mesma noite se arrasta por anos. Não há lugar para repouso, meu corpo pede descanso e minha alma busca paz. É! Eu já fui de tudo nesta vida. Até feliz. Pena que eu não sabia.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Sobre decisões positivas!


O Soldado da Paz sabe que todas as vezes que ele toma uma decisão positiva o adversário dá um passo adiante, em sua direção. Mas ele nunca deixou de decidir nada por medo de retaliações. Respeita seu adversário, sabe da seriedade de cada conflito e o quanto uma imprudência pode custar; mas aprendeu a confiar na espada que carrega. É por isso que, quando o guerreiro toma uma decisão importante, já está preparado para enfrentar as suas conseqüências. 

Sobre aprender a esperar!

Às vezes a Mulher de Fé sente-se insegura e sem saída, mas ela não desiste de seus sonhos. Aprendeu que o universo conspira a favor daqueles que são capazes de esperar. Sua alma incerta nem sempre aceita as dificuldades do momento. “Vamos buscar novas experiências”, ela diz. “Estou faminta, carente, já está mais que comprovado que este mundo que nos cerca jamais será capaz de nos realizar”. Mas a Mulher de Fé prefere dar ouvidos à outra voz, que há tempos não tem sido capaz de ouvir: “Espere. Eu estou contigo todos os dias até o fim”. Ela respira fundo e sorri. Seu coração está em paz.

sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

Sobre a liberdade da flecha!

O arqueiro está em cima das muralhas e fita o infinito. Seu anjo aparece de pé ao seu lado. “O que está fazendo?”, pergunta o guerreiro celestial. O arqueiro respira fundo, ajeita seu arco, pega a flecha e a deixa armada. “Estou tentando entender a liberdade”, ele responde. O anjo também parece estar olhando um ponto distante. “A liberdade do homem é a mesma da flecha”, diz. “Elas não escolhem quando serão lançadas, nem quando terminarão o seu trajeto, mas sabem que têm uma missão, e que estão aqui por alguma causa”. O arqueiro dispara sua flecha que desaparece no horizonte. “O anjo tem razão”, ele pensa. “Não escolhemos o dia de nascer, nem de morrer, mas que, assim como a flecha, possamos nos entregar por inteiro àquilo que sabemos ter vindo fazer aqui”.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Sobre palavras que fluem do coração!


Não tenham medo das transformações que estes ensinamentos lhes causarão. Na verdade, eles servirão muito mais para manifestar aquilo que vocês já são do que para transformar-lhes naquilo que não são. Claro, o aprendizado transforma, mas mais que isto: ele traz à tona. Apenas aceitem que a verdade vá revelando pouco a pouco aquilo que são. Depois disso, analisem o que precisa realmente ser transformado. Aperfeiçoem-se no amor. Apeguem-se à verdade. Não temam a luz. Dêem lugar ao Espírito. Cuidem-se mutuamente. Façam o bem em todos os instantes. Se o medo inundar seus corações, façam uma prece, respirem fundo, procurem alguém de confiança e peçam um abraço. Mergulhem com mais intensidade em suas convicções espirituais, se agarrem às boas referências que já lhes foram luz no passado. Lembrem-se de que o medo é só um sentimento, mas se não for dominado, acabará lhes dominando e poderá manipular suas atitudes. Coragem. Enfrentem aquilo que for realmente necessário. Não entrem em combates inúteis. Fugir, às vezes, pode ser a melhor arma de defesa e o único caminho para se encontrar a vitória. Portanto, não temam o combate nem a fuga. Escolham aquilo que parecer melhor aos seus olhos, sem se esquecerem de consultar o que está dizendo o coração.


Retirado do livro “O tempo, a vida e o perdão” que será lançado em abril. Instagran: @SoldadoDaPaz

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Sobre em quem acreditar!

Então disse Du-Chan aos seus discípulos: Não esperem melhora daquilo que não evolui. Não coloquem as suas expectativas em pessoas que não se esforçam para melhorar, pois gastarão energia e terminarão frustrados. Não gastem tempo com pessoas que vivem contando vantagens quanto a coisas importantes que fizeram no passado. Mais vale um homem sem passado, que um homem sem esperança de futuro! Busquem olhos vivos, empolgados com desafios, corajosos, destemidos; estes, mesmo que não saibam manusear a espada, têm maiores chances de terminarem o combate vitoriosos.

segunda-feira, 5 de janeiro de 2015

Sobre o poder da intensidade!

O Soldado da Paz entrega-se por inteiro ao seu Sonho Individual. Alguns companheiros dizem que é exagero dedicar-se tanto a uma causa, mas o guerreiro não se importa. Ele sente-se feliz enquanto busca cumprir sua missão. “O Reino dos céus assemelha-se a um tesouro escondido no campo. Certo homem, tendo-o encontrado, escondeu-o novamente. Então, transbordando de alegria, vai, vende tudo o que tem, e compra aquele terreno. Estou encontrando o meu tesouro”, diz. Eles acabam respeitando a intensidade de sua entrega. O Soldado da Paz está livrando-se de tudo, a fim de possuir o seu campo.

domingo, 4 de janeiro de 2015

Sobre as mulheres!

E assim são elas...
Invencíveis como as montanhas, frágeis como as pétalas pequenas de uma flor do campo...
Elas não se cansam nunca. Ou pelo menos fazem de tudo para parecerem assim...
Elas encaram o sofrimento com coragem e fazem de tudo para parecerem fortes – quase invencíveis...
Elas, às vezes, ousam sorrir quando estão diante de problemas grandes, mas desabam por coisas pequenas que podem ser facilmente resolvidas.
Elas são apaixonadas pela vida, cuidam da casa, dos filhos, do amor... Mas muitas vezes se esquecem de cuidar de si mesmas.
Elas amam o desconhecido.
Talvez seja por isso que são tão tentadas pelo novo, pela descoberta e pelos lados secretos desta vida. Tenha um mistério dos bons e conquistá-las tornar-se-á infinitamente mais fácil. Elas adoram boas histórias, boas risadas, bons vinhos e ótimos perfumes.
Às vezes elas querem se esconder, mas nestes momentos o que mais desejam é serem vistas.
Nada como o amor sincero de uma boa mulher...

Thiago Mendes

Sobre a coragem!

A coragem é um ato de nobreza e precisamos dela tanto para iniciar quanto para encerrar ciclos. A coragem que diz ao guerreiro: "Vá ...