segunda-feira, 29 de setembro de 2014

Sobre nunca olhar para trás!


O Soldado da Paz conhece bem o peso de sua espada. Por muitas vezes sentiu que não seria mais capaz de carregá-la e até tentou livrar-se dela. Mas foi aí que percebeu que não podia viver sem seus companheiros nem sem seus inimigos. O combate passou a fazer parte de seus dias. “Nunca olhe para trás”, dissera seu mestre. “Sabemos que uma pessoa está viva quando suas expectativas são maiores que sua saudade”. O guerreiro ainda ouve as vozes do passado, mas seus olhos continuam fixos no futuro. 

domingo, 28 de setembro de 2014

Sobre a mulher, a fuga e o destino!

Às vezes a Mulher de Fé sente-se como se fosse uma menina que faz de tudo para fugir de seus sentimentos. Junta seus maiores tesouros, pensa em um destino absurdo e tenta partir. Mas no final ela sempre acaba sentindo-se covarde demais para decisões tão drásticas. Talvez porque sabe que tem pela frente um desafio ainda mais difícil que a fuga: o de ser feliz tendo apenas seu cantinho como abrigo, e vivendo ao lado de pessoas que nem sempre compreendem suas fraquezas. Ela prefere ficar e cumprir aquilo que entende ser sua missão. Quando sentir-se fraca e pensar em desistir, buscará nos motivos que já tem - as forças necessárias para continuar o seu caminho. 

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Sobre quando as circunstâncias da vida tentam roubar nossos sonhos!

Às vezes, dependendo do tempo e das circunstâncias, sobreviver já é o grande mérito. Os dias vão passando, as coisas vão mudando, a vida vai se moldando como bem lhe apraz, e nós, que começamos a navegar sonhando em conhecer Viena através do rio Danúbio, ou talvez invadir Varsóvia entrando pelo rio Vístula, agora, depois de tantas tempestades, deixamos de ter um destino, e passamos a ter apenas um desejo: continuarmos vivos. Pouco a pouco, caso não tomemos muito cuidado, os sonhos vão sendo substituídos pelo pesadelo de apenas termos a obrigação de nos mantermos nesta vida. Talvez eu nunca vá a Viena. Talvez nunca sinta o frio das águas do rio Vístula. Mas que as tempestades desta vida jamais sejam capazes de roubar os meus sonhos. O Soldado da Paz não quer apenas se manter vivo. Ele tem sonhos e lutará por cada um deles até o seu último dia por aqui.

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Sobre como melhorar o mundo!


Sim, nós precisamos melhorar o mundo. Certamente há uma parcela de responsabilidade, exatamente na medida daquilo que cada um de nós pode fazer para melhorar as coisas por aqui. Portanto, não fuja do que está ao seu alcance. Comece cuidando de você mesmo, só assim terá forças o bastante para cuidar daqueles que estão mais próximos e, um dia, talvez, poderá cuidar do que hoje lhe parece impossível. Sinta-se profundamente culpado por tudo aquilo que está ao seu alcance. Lembre-se: a mãe pássaro precisa estar saudável para ser capaz de voar e buscar alimento aos que vivem em seu ninho. Ela sabe que, cuidando bem dos seus, já estará fazendo bem a toda a sua espécie.

domingo, 21 de setembro de 2014

Sobre o caminho do sol!

Às vezes o Soldado da Paz sente que está ficando só. Seus amigos seguiram viagem sem que percebessem sua falta, seus amores mostram-se distantes, aéreos e desinteressados quanto aos resultados dos últimos combates e seu coração encontra-se aflito e cheio de dúvidas. O guerreiro não joga pedras, não procura culpados, nem se faz de vítima. Sabe que a causa não está em si, não nos outros. Seu anjo aparece: “O problema é que está faltando luz”, ele diz. “Reencontre-se. Volte ao seu lugar. Seja iluminado e todos voltarão”. O Soldado da Paz entende a linguagem de seu anjo. A partir de agora, seguirá novamente o caminho do sol.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Sobre equilibrar os seus momentos!

Lá vai ela... Segue sem temer o amanhã. Apesar de não saber o que, sabe Quem está lhe esperando por lá. Tem buscado equilibrar os seus momentos sonhando encontrar a plenitude da felicidade, e tenta reunir forças para continuar acreditando nas pessoas. Lá vai ela... Consciente de seus muitos defeitos, mas feliz por perceber que tem evoluído, mesmo que não seja na velocidade que gostaria. Tem aprendido a perdoar, se tornou mais compreensiva quanto aos erros de seus amores, e passou a acreditar mais nos caminhos do amor. Lá vai ela... Feliz, cheia de dúvidas, e apaixonada pela vida - mesmo sem compreender a maior parte de seus mistérios. Isso não importa. Enquanto alguns param e fazem perguntas, ela segue adiante e aproveita cada detalhe do belo cenário da viagem. Lá vai ela...

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Sobre algumas dicas para ser feliz!


Seja simples. Escolha os caminhos do amor. Lembre-se que as vezes o melhor ataque acontece quando baixamos nossas armas e estendemos nossas mãos. Se for necessário, fuja. Esta também pode ser vista como sendo uma arma de defesa. Não se exalte em nada. A vida é breve, frágil e sem sentido se observada apenas sob o prisma de nossas vaidades. Faça o bem sem esperar nada em troca. Um dia nós seremos recompensados, você vai ver. Abra seus melhores tesouros e divida-os com todos aqueles que desejar. Não guarde sentimentos. Se forem bons, expresse-os. Se forem ruins, jogue-os fora. Seja luz. Seja remédio. Seja feliz.

Sobre o dom de viver, amar e esperar!


Senhor, ajuda-me a viver Sua vontade. Sei que cada passo que dou guiado apenas por meus desejos, arrasta-me para mais perto do abismo. Ensina-me as Tuas palavras e elas serão minha bússola para sempre. Ensina-me também a amar cada pessoa que cruzar o meu caminho como me convém amá-las. Sou e sinto-me tão falho e poluído pelas influências deste mundo que sei não poder seguir adiante sem que estejas em mim. Consola-me. Fortaleça-me. Ensina-me a esperar com paciência. Amado Senhor, que todos os meus dias existam para expressar o quão é infinitamente melhor caminhar na Tua luz. Amem.

domingo, 14 de setembro de 2014

Sobre coisas que revelam quem nós somos!


O Soldado da Paz parte do pressuposto de que todos que estão ao seu redor são bem intencionados. Não quer viver desconfiando de ninguém, embora saiba que alguns não empunham a mesma espada. “Os frutos manifestarão as intenções”, ele diz quando questionado, “é mais fácil esconder um elefante em baixo de uma mesa que as intenções de um coração”. O guerreiro está sempre atento aos pequenos gestos: uma palavra dita, a sinceridade do olhar, na maneira em que a pessoa trata alguém hierarquicamente inferior. “Somos revelados por pequenos gestos, não por grandes realizações”, ouvira seu guia dizer. E assim ele segue adiante. Confiando em todos, na certeza que alguns serão traídos por suas próprias intenções.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Sobre como transformar tombos em medalhas!


Vamos, levante-se e transforme estes tombos em suas próximas medalhas. Não se intimide com os olhares felizes com sua queda, vindos de pessoas às quais você esperava mãos estendidas. Nem todos que te cerca estão preparados para vê-lo vencer. Muitos dizem: “Queremos seu bem. Estamos torcendo muito por você”. Mas acredite, boa parte deles, embora te louvem com os lábios, não tem humildade para honrar-lhe com o coração. Não sabem respeitar a sua dor. Releve. A agressão é uma arma que só os fracos sabem usar. Continue tratando a todos com ternura e jamais permita que as feridas de fora, alterem aquilo que você é por dentro. Vamos, levante-se e transforme estes tombos em suas próximas medalhas.

Sobre renovar os votos sagrados!


Nem todos os companheiros compreendem o caminho do Soldado da Paz. “Ele fala com anjos e acredita em milagres”, ironiza alguém. “Além do mais”, lembra outro, “já o vi abandonar o combate para rezar”. Mas o guerreiro não se importa. Aprendeu que é mais seguro afiar primeiro as armas espirituais. Quando sente-se sem direção, e percebe que está enfraquecido ante seu adversário, o guerreiro faz suas preces e renova os votos sagrados: “Eu sei em Quem tenho crido. Também sei que no momento certo Ele me mostrará o melhor caminho”. E o Soldado da Paz segue adiante. Já foi ferido, abandonado, e cometeu erros graves, mas ainda está aqui; e isto, certamente também pode ser chamado de vitória. 

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Sobre coisas que temos que aprender a amar!


Há uma história antiga que diz que dois homens receberam a mesma missão: carregar uma pedra grande e pesada e deixá-la no alto de uma montanha. Conta-se que o demônio foi falar com os dois: “Quando deixarem a pedra lá em cima eu a rolarei de volta, assim passarão a vida inteira lutando em vão nesta mesma repetição. Estão fadados ao sofrimento”. Então o primeiro homem disse: “Já que não posso fugir deste carma, sofrerei lamentando cada dia torcendo para que seja meu último”. O segundo respirou fundo antes de responder: “Vou aprender a amar esta pedra. Assim, sentirei prazer em cada minuto que estiver ao seu lado subindo esta montanha. E torcerei para ter vida longa, e assim, poder passar muitos e muitos anos ao lado de algo que aprendi a amar”. 

Sobre quando a vida para de mudar!


De vez em quando a Mulher de Fé sente que as dúvidas estão se sobrepondo às suas convicções. O cansaço, as feridas de combates passados ainda não cicatrizadas, o medo de novas decepções, a falta de expectativa quanto a mudanças no cenário geral de sua vida, tudo isso parece tentar minar suas forças e roubar a esperança. “Não olhe para trás”, ouve seu coração dizer. “Não tenha medo quando as coisas parecem ter parado de mudar. Nós provocamos as mudanças que queremos ter e somos as mudanças que queremos ser”. Ela entende o recado. Acredita que as mudanças vão acontecendo na medida em que forem se tornando realmente necessárias.

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Sobre o peso, o preço e a decisão!


O arqueiro sabe que toda decisão tem um peso e tem um preço. É por isso que antes de lançar as suas flechas, pensa bem nas consequências que elas trarão. “É impossível trazê-las de volta depois de terem sido lançadas”, dissera seu anjo. E o guerreiro sabe bem o que significam flechas precipitadas. Já feriu inocentes, cometeu injustiças e acabou por colocar-se em situações irreversíveis. Hoje tem pensado mais nas palavras que vai dizer, e na maneira de tratar cada situação que o cerca. Descobriu que quem pensa antes de lançar flechas, sofre menos na hora de recolhê-las. 

Sobre a arte de relevar!


O Soldado da Paz decidiu não se entristecer por bobagens. Ele sabe que há alguns aspectos de nossas vidas que se forem levados muito a sério, acabarão por nos escravizar. É por isso que o guerreiro tem se dedicado a aprender a arte de relevar. Foi ofendido, mas preferiu não revidar. Acusado, mas preferiu deixar que seus atos advogassem sua causa. Foi esquecido por alguns companheiros, mas não guardou mágoa em seu coração. Aos poucos ele vai percebendo que a vida está se tornando mais leve. Isso é bom. O Soldado da Paz não quer nada que possa lhe atrapalhar em combate, nem mesmo a dor de uma lembrança desnecessária. Para o guerreiro, quem aprende a relevar, tem mais chances de dar o último golpe do combate. 

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Sobre você, a vida e a morte!

Se eu não for capaz de esquecer, que pelo menos encontre forças para aceitar. Se durante o caminhar meus pés tornarem-se trôpegos e eu cair, que neste mesmo chão encontre forças para me levantar e seguir adiante. Se por algum instante meus olhos tornarem-se turvos e perderem a visão, a razão, e o bom senso, que este momento sirva para alguma reflexão reparadora. Que eu seja capaz de me refazer, me reinventar, e de me adaptar às mudanças que a vida exigir de mim. Eu não nasci para morrer parado. Descobri que a morte não é o fim, mas apenas mais uma destas mudanças que a vida exige de todos nós. Sim, e esta talvez seja a mais permanente de todas as mudanças. 


Sobre a vida e o momento!

Tudo nessa vida é emprestado, usual, casual, transitório, passageiro, efemeramente temporal, enfim - somos inquilinos prestes a sermos ...