quinta-feira, 30 de abril de 2009

Tudo que eu precisava saber aprendi no jardim de infância




De Robert Fulghum (em “Tudo que eu precisava saber aprendi no jardim de infância”):

“Uma boa parte do meu trabalho como pastor está ligado à morte e aos mortos. O quarto de hospital, o cemitério, os ritos finais. Estas coisas terminaram por moldar a minha vida de uma maneira muito diferente. Eu já não fico tanto tempo pensando que a grama está alta, nem engraxo meus sapatos de modo que fiquem brilhando como espelho. Eu já não buzino quando o sinal abre, e o carro da frente não anda. Tampouco fico preocupado em matar aranhas que fizeram suas teias na minha igreja”.
“Muito pelo contrário: quando tenho um tempo livre, vou até a Taverna Búfalo, e escuto a banda que está tocando. Um índio pede silêncio, nos olha, e diz: ‘o que vocês estão esperando? Venham dançar!’”.
“E eu vou. Danço e me divirto. Sem nenhuma sensação de pecado”.


Viva sem medo!


Thiago Mendes

quarta-feira, 29 de abril de 2009

A Igreja e a Torre


A História da Igreja é a repetição demorada da construção da Torre de Babel. O que é Babel a não ser a tentativa humana de se achegar a Deus? E é isso que o Cristianismo Histórico fez no decorrer dos anos: tentou criar degraus, escadas, meios, torres e elevadores, a fim de conduzir os homens fracos e de consciência fragilizada ao Reino dos Céus. “O Homem só pode conduzir outro homem ao reino dos homens ou ao inferno”.

A História da Igreja acusa cada pastor, ou padre, bispo, pregador de ir colocando seus próprios tijolos na construção já pronta, realizada na Cruz do Calvário e toda tentativa humana de salvação é Babel, é Papel.

Cada um foi construindo ao longo dos anos com seus credos, seus modos seu crer, um modo diferente de ver, de compreender e de viver o Evangelho puro do nosso Senhor.

Quando pensamos na Primitiva, pensamos não em começar algo novo, um modo novo, muito pelo contrário, queremos apenas ensinar a Palavra como ela é, sem nossos modos e manias tradicionais, pentecostais, neo-pentecostais, avivados; não queremos ser nada além daquilo que a Palavra sempre foi. Em resumo, tudo que desejamos é viver um Cristianismo á moda antiga. Nossa Igreja modelo é a Primitiva.

Na fé,

Pr Thiago Mendes

A SURPRESA PROIBIDA


Williams descreve uma situação muito curiosa:
“Vamos imaginar que a vida seja perfeita. Você está num mundo justo, com pessoas íntegras. Tem tudo o que quer. Os seres humanos fazem tudo adequadamente, nas horas certas. Imagine que neste mundo você tenha tudo o que deseja – apenas o que deseja – exatamente como sonhou, vivendo quantos anos queira”.
“Imagine que depois de 100 ou 200 anos você se sente num banco imaculadamente limpo, diante de um cenário magnífico e pense: ‘Que chato! Falta emoção!’”
Neste momento, você repara num botão vermelho à sua frente escrito: “SURPRESA!”
“Depois de considerar todas as possibilidades da palavra, você aperta o botão. De repente você entra por um túnel negro e sai exatamente no mundo em que você está vivendo agora”.
Talvez isso tenha acontecido com Adão.

Abraço Fraterno,

Thiago Mendes

terça-feira, 28 de abril de 2009

PRECISAMOS SORRIR



W. Frasier escreveu durante toda sua vida sobre a conquista do Oeste americano.
Orgulhoso por ostentar em seu currículo o roteiro de um filme estrelado por Gary Cooper, ele me conta que poucas vezes em sua vida conseguiu se aborrecer com alguma coisa.
“Aprendi muito com os pioneiros americanos”, diz ele.
“Eles lutavam contra os índios, cruzavam desertos, buscavam água e comida em regiões remotas. Todos os registros da época mostram uma característica curiosa: os pioneiros só escreviam ou conver¬savam sobre as coisas boas. Ao invés de reclamar, compunham músi¬cas e faziam piadas sobre as dificuldades enfrentadas. Assim conseguiam afastar o desânimo e a depressão. E hoje, com meus 88 anos, procuro me comportar da mesma forma, e me sinto vivo e ativo”.



segunda-feira, 27 de abril de 2009

A rotina não pode ser o nosso fim



Todos nós temos que encarar a rotina. Até mesmo àqueles que mudam seus afazeres todos os dias, entram na terrível rotina de ter que mudar sempre.

Precisamos aprender a variar nossa rotina. Minha vida é assim: acordo as 5:30 da manhã, e vou para a redação do jornal. Dou uma olhada nos principais jornais do Brasil e do mundo, vejo o que aproveito em cada um, edito o jornal, as 8 entro no ar, apresento. Terminando o jornal faço alguns telefonemas, escrevo as notas da programação, aí chego onde estou agora – escrevo o texto do blog -, depois escrevo o esporte. Vou embora, almoço, brinco um pouco com o Israel, saio a tarde para resolver questões da Igreja, até a tarde. A noite, prego praticamente todos os dias, e apesar de sempre ser em um lugar diferente, esta se chama “rotina da diferença”.

Todos nós temos uma rotina. E para que sejamos felizes, precisamos aprender a conviver com ela.

Thiago Mendes

sábado, 25 de abril de 2009

Onde estão nossos heróis?




Uma das piores perguntas que um povo pode fazer é esta: onde estão nossos heróis?

E hoje, vivemos dias em que os heróis estão perdidos em cima de montanhas, fugindo, amedrontados, escondidos de si mesmos. Nossos heróis estão em crise, deixaram a espada, abandonaram a capa. O povo fraco, espantado, de olhos arregalados se perguntam: onde estão nossos heróis.

O filho sempre enxerga no pai seu grande herói, mais hoje é possível que este filho esteja vendo o pai enfraquecido por alguma “criptonita” alcoólica, preso pelas portas de algum bar, rendido a algum taco de sinuca da vida. E infelizmente pela falta de heróis em casa, saem à procura de algum herói no bairro ou na rua de baixo e acabam encontrando o grande vilão da história e fazendo dele o seu herói. Quando o traficante vira herói o povo entra em risco. Isto acontece muito em favelas do Rio de Janeiro.
Onde? Onde estão eles? Para onde foram? Será que voltarão um dia?

Onde estão nossos heróis?

sexta-feira, 24 de abril de 2009

O MODO QUE A VIDA ACONTECE - étão rápido e tão lento


Da janela, o homem reparou que o mestre sufi Uways descansava na praça em frente à sua casa. “Talvez ele possa me dizer algo importante”, pensou.
Saiu, e fingindo estar distraído, aproximou-se do mestre.
Depois de uma breve hesitação, perguntou a ele: “como o senhor se sente hoje?”
“Como alguém que acordou de manhã e não sabe se estará vivo no final do dia”, respondeu o mestre.
“Mas isto não é nenhuma novidade”, disse o homem. “Afinal, todos os seres humanos se encontram nesta mesma situação”.
“Sim”, disse Uways. “Mas quantas pessoas neste mundo se dão realmente conta disto?”

Precisamos ter consciência da vida, para compreender como ela se processa.
A eternidade ainda não chegou.

Thiago Mendes

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Algumas pitadas de Fé, Esperança e Amor


Em nossa vida pode faltar tudo: mais a pessoa que ousa viver sem fé, esperança e amor, é que decidiu que não deseja mais viver. A fé, é um sentimento que muitas vezes se confunde com religião, com credos, mais digo que fé e muito maior que religião, assim como esperança não se resume a acreditar que o dia de amanhã será melhor. Esperança é maior que o amanhã. E amor é mais que um fim de tarde de mãos dadas.

Fé, é transportar montanhas; esperança é ver um mundo mais iluminado; amor é desejar que todos vivam cheios de fé e esperança.

Que você tenha sempre: Fé, esperança e amor.

Thiago Mendes

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Morrison e o casal - um minuto de silêncio pode falar mais que mil palavras


Durante dias o casal caminhou quase sem conversar.
Finalmente chegou ao meio da floresta, e encontrou George Morrison.
“Minha companheira quase não falou comigo durante a viagem”, disse o rapaz.
“Um amor que não tem silêncio é um amor sem profundidade”, respondeu Morrison.
“Mas ela nem mesmo disse que me amava!”, insistiu o rapaz.
“Há pessoas que falam isso a toda hora”, continuou Morrison. “Acabamos desconfiando se há verdade em suas palavras”.
Os três se sentaram em uma pedra. Morrison apontou as montanhas no horizonte:
“A natureza não fica repetindo o tempo todo que Deus nos ama. É no silêncio que nós O compreendemos”.

Ao amor da minha vida, minha – pastora Fran a quem amo e quero viver por todos os longos anos de nossa vida. Quero muito que o nosso Senhor nos permita isso.

Escute sempre o barulho do meu silêncio dizendo: Te amo!

Thiago Mendes

segunda-feira, 20 de abril de 2009

Passo a Passo com Jesus – o segredo daqueles que caminham com o Mestre


“As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, e ninguém poderá lhes tirar da minha mão” – João 10:27-28

O texto de João, que inclusive tive o grande privilégio de discorrer sobre ele ontem a noite em nossa igreja em Piracanjuba, falou muito comigo durante toda a semana passada e agora escrevo quase entre lágrimas meditando no mesmo texto que é realmente muito profundo. Quem é do Senhor, precisa ter sensibilidade à sua voz, entende que o Senhor as conhece, seguem o Mestre, tem a vida eterna, não perece e ninguém, jamais, poderá lhes tirar da mão do Senhor. Boa notícia, estamos na mão Dele. Você está na mão do Senhor.

É simples, mais é tão belo que corta o coração.

Quem é ovelha, ouça,

Thiago Mendes

sexta-feira, 17 de abril de 2009

INVEJA: UM PESO DESNECESSÁRIO


A inveja é um carro velho, estragado, parado na beira da estrada que olha no horizonte e enxerga um modelo novo e importado se aproximando em alta velocidade.

1º - O carro velho-invejoso seria incapaz de pedir carona, pois seu orgulho invejoso não seria capaz de reconhecer sua incapacidade perante a capacidade de seu irmão mais novo.

O invejoso manifesta sua inveja aparentemente apresentando uma desnecessidade em relação ao outro, mais na verdade, o que ele sente é medo de ser desprezado.

2º Se o carro novo pára espontaneamente, o sentimento do velho invejoso é que ele só parou para humilhar estragado.

A briga eterna entre o invejoso e o mundo inteiro é que ele jamais conseguirá reconhecer as vantagens de seus adversários, que na maioria das vezes nem tem conhecimento de tal adversidade.

O melhor que podemos fazer é tentar viver livres deste peso.

Se você sente inveja, por favor, faça bem a si mesmo e ao Universo que lhe rodeia.


Em paz,

Thiago Mendes


quinta-feira, 16 de abril de 2009

Como devo dar esmolas?


Um homem da tribo dos Ansares se aproximou de um velho sábio
“Sou filho de uma família pobre”, disse ele. “Venho pedir socorro, porque todos em minha casa estão passando fome”.
O sábio deu-lhe duas moedas, dizendo: “com a primeira moeda, compra comida para a tua gente. Com a outra, um machado para cortar lenha”.
O seu discípulo mais fiel anotou a história e costumava contar a todo mundo, acrescentando: “a verdadeira caridade não é resolver o problema imediato, mas ajudar a pessoa de forma tal que ela jamais precise pedir alguma coisa.

quarta-feira, 15 de abril de 2009

SOBRE A INJUSTIÇA


Quando era pequeno, Cosroes, na antiga Pérsia, tinha um mestre que conseguiu fazê-lo se destacar em todas as matérias que aprendia.
Certa tarde, o mestre, aparentemente sem motivo, castigou-o com toda a severidade.
Anos depois, Cosroes subiu ao trono. Uma das suas primeiras providências foi mandar trazer o mestre de sua infância, e exigir uma explicação para a injustiça que cometera.
“Por que me castigaste sem que eu merecesse?”, perguntou.
“Quando vi tua inteligência, soube logo que irias herdar o trono de teu pai”, respondeu o mestre. “E resolvi mostrar-lhe como a injustiça é capaz de marcar um homem para o resto da vida. Espero que você jamais castigue alguém sem motivo”.
Cosroes admirou sua sabedoria e deu-lhe um cargo elevado.

Receba meu carinho e minhas orações,


Thiago Mendes.

segunda-feira, 6 de abril de 2009

IMITADORES DE NÓS MESMOS


O psicanalista Rollo May conversava com duas meninas gêmeas.
À determinada altura, disse: “todo mundo deve comentar a semelhança entre vocês”.
“Sim”, disseram as meninas. “E nós detestamos isto. Seria tão bom ouvir alguém dizendo: ‘como elas são diferentes!’”
A tarefa do ser humano é buscar a vida em sua plenitude e em sua individualidade. Não dá certo repetir fórmulas alheias, ou aceitar temores que não são nossos.
É bom saber que somos únicos. As vezes observo meu filhinho Israel. Ele veste uma roupinha bonita e vem me mostrar. “Igualzinho papai”, diz. Aí eu, claro me derreto. É assim...rs...Daqui a algum tempo, tudo que ele buscará não é ser igual a mim, mais sim igual a si mesmo. Ser igual si é ter personalidade própria.

Receba meu carinho e minhas orações.

Thiago Mendes

sexta-feira, 3 de abril de 2009

Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará


Procure a verdade, ela não faz mau a ninguém. Procure viver a verdade, ela é vida para aqueles que resolvem vive-la, e morte para os que resolvem abandoná-la. Verdade e liberdade caminham juntas; e isso porque aquele que é verdadeiro não há reservas consigo mesmo. Não obscuridade, não existe o que esconder, não existe um lado negro de sua face. Tudo que ele parece ser é exatamente aquilo que ele é. Eu quero ser assim, ser tudo aquilo que eu pareço ser e apareço sendo: nem mais, nem menos, porque se eu for melhor em um mundo escuro do que eu sou à vista de todos, estarei pecando contra mim mesmo; e se eu for pior do que eu apareço aos outros, estarei pecando contra mim mesmo, contra os outros e contra Deus.

Quem anda da verdade não teme, não se assusta, pois tudo que ele parece ser é exatamente o que ele é.

É como Jesus disse, conhecereis a verdade e ela vos libertará. Quem caminha por este chão, não tem o que nem de quem se esconder.

Receba um abraço carinhoso de VERDADE,

Thiago Mendes



quinta-feira, 2 de abril de 2009

A linguagem da simplicidade


Nasrudin se encontrou, certa vez, com seu mestre:
- O que trago aqui? - perguntou o mestre, mostrando a mão fechada.
- Como posso saber? - respondeu Nasrudin.
- Pois vou lhe dar uma pista: tem forma, cheiro e aparência de ovo. Seu conteúdo é branco e amarelo. É líquido, mas se o cozinhamos fica duro.
- Um bolo! - gritou, entusiasmado, Nasrudin.
O mestre abriu a mão: era um ovo.
- A verdade é simples. Mas aquele que sempre quer bancar o mais inteligente, nunca enxerga - disse o mestre.
Ele pode impressionar os outros com a sua argúcia, mas sempre ficará distante da simplicidade de Deus.

quarta-feira, 1 de abril de 2009

TRÊS COISAS QUE NÃO PODEM FALTAR EM VOCÊ!



Quero apenas que você entenda estas três coisas simples que vos passo a dizer:

Primeiro: reflita todos os dias sobre você mesmo. Analise seus pontos fortes, suas fraquezas, seus sonhos, seus medos, suas alegrias. Não gaste tempo falando sobre o distante mundo das celebridades que só celebram a própria arrogância. Fale sobre você, sobre os de sua casa, sobre seus filhos, seus pais e sobre você mesmo. Não gaste tempo sabendo sobre um Universo distante maquiado e manipulado por instrumentos que só nos trás aquilo que lhes é do interesse trazer. Acredite em você, acredite nos da sua casa e sobretudo, acredite em Deus. Fale com Deus, fale sobre você para Ele, conte tudo, como se Ele de nada soubesse. Você vai se sentir melhor se assim fizer.

Segundo: Não tenha medo de amar a ninguém. Sim, esbanje amor por todos os lados, seja um ventilador de amor. Ame quem te ama, ame quem te odeia, ame quem você não conhece, ame quem você acabou de conhecer e quem você já conhece há anos. O amor faz bem a todos. O caminho do amor é o melhor modo para se chegar a qualquer lugar.

Terceiro: Não tenha medo da felicidade, ela também foi feita para você. Se arrume logo de manhã, ligue o som, dance uma música com a vassoura, feche os olhos, sorria sozinho, olhe para o sol e veja que a luz foi criada para todos e as possibilidades também. Saia na chuva e permita que ela te molhe. Deixe a água escorrer pelo seu rosto e, por favor, entenda uma coisa: a chuva foi feita para todos; e a felicidade também.

Receba meu carinho e minhas orações,

Thiago Mendes


Artigo originalmente escrito para o Jornal 5 de Junho



Sobre a roda do destino!

De tempos em tempos os ciclos se findam, a roda impiedosa do destino gira e muita coisa importante será obrigada a se tornar saudade. Seg...