segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Sobre a montanha, o vento forte e nossos problemas!

O dia finalmente começou sem chuva. Depois de várias semanas de um temporal constante, agora sobraram apenas à terra molhada e as pastagens começando a brotar. “Vamos subir a montanha hoje”, disse o guia espiritual pegando uma garrafa de água e um pequeno cajado. O jovem Soldado da Paz não questiona. Ele apenas se levanta sem dizer palavra e segue o velho. Os dois sobem em absoluto silêncio sentindo o cheiro da terra e ouvindo o barulho do vento. Quando finalmente chegam ao topo o guia fita no infinito. O Sol está tímido e o vento frio. “O que viemos fazer aqui?”, quer saber o moço. “Quando estamos aqui em cima”, explica o velho, “vemos como as coisas do mundo são pequenas. Se enxergadas do alto, aquilo que nos tira a paz não tem nenhum sentido. Observe que quanto mais alto ficamos, menores se tornam as coisas lá em baixo”. O jovem sabe que seu guia está certo. O moço faz uma espécie de binóculo com suas mãos. “Nossa, se visto daqui, o mundo inteiro parece caber dentro de minhas mãos”, observa. O velho sorri. Os dois descem da montanha, mas algo mudou. O Soldado da Paz aprendeu que um problema só parece ser grande quando olhado de baixo para cima.
Thiago Mendes

Sobre quando não somos atendidos!

Nem sempre estamos preparados para receber aquilo que pedimos. O pior é que geralmente quando não somos atendidos, temos a tendência de reclamar e culpar o Universo inteiro pela suposta falta de provisão. Mas o Soldado da Paz sabe que algumas coisas nós só iremos receber quando estivermos totalmente preparados. Receber antes seria ultrapassar etapas importantes que não podem, jamais, serem atropeladas. Todas as vezes que não nos sentirmos atendidos em um pedido, não devemos questionar o porquê de não termos recebido – e sim, o que precisamos aprender antes de receber tal presente. O verdadeiro Soldado da Paz aprendeu com a vida que nem tudo que desejamos receber nos fará bem e é justamente por isso, por muitas vezes pedirmos mal, que não recebemos tudo o que pedimos. É necessário aprender com tudo em nossa vida, inclusive com as nossas necessidades.


Thiago Mendes

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Sobre flores, sorrisos e a voz do coração!


Meu coração estava calado há dias e parecia não mostrar nenhum interesse em se comunicar comigo. Eu já havia ouvido explicações sobre isso. "Quando o coração se cala", disseram, "duas coisas podem estar acontecendo: ou ele está falando, mas nos tornamos incapazes de compreender a sutileza de sua voz, ou tentou tanto se comunicar sem sucesso que acabou desistindo". Começo a entrar em desespero. Entrego-me aos exercícios de meditação. Fico em silêncio o máximo que posso, procuro ajuda de alguém mais sábio. "Esta é uma batalha que precisa ser vencida sozinha", é o único conselho que recebo. Tento iniciar um diálogo comigo mesmo. Não há resposta. Saio sem direção. "Você já sorriu para alguém hoje?”, leio na traseira de um caminhão. Eu estava mau-humorado demais para sorrir sem motivos. "Amigo, compre flores e leve para sua esposa", oferece um ambulante mostrando um buquê sem nem mesmo receber o meu olhar de volta. Ele não sabia que eu não estava para flores naquela manhã. "É por isso que não posso me comunicar com você", ouço baixo. "Está tão viciado às formas antigas que não consegue perceber os mais variados idiomas que posso usar. De agora em diante procure observar melhor o mundo que o cerca", diz silenciosamente. Volto correndo. O vendedor de flores não está mais lá. O caminhão também já se foi. Fico eu, minha vontade de não errar mais e a certeza de que há oportunidades que jamais voltarão. O verdadeiro Soldado da Paz sabe que entender a voz do coração é discernir o que a vida deseja lhe ensinar.
Thiago Mendes

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sobre flores, sorrisos e a voz do coração!

Meu coração estava calado há dias e parecia não mostrar nenhum interesse em se comunicar comigo. Eu já havia ouvido explicações sobre isso. "Quando o coração se cala", disseram, "duas coisas podem estar acontecendo: ou ele está falando, mas nos tornamos incapazes de compreender a sutileza de sua voz, ou tentou tanto se comunicar sem sucesso que acabou desistindo". Começo a entrar em desespero. Entrego-me aos exercícios de meditação. Fico em silêncio o máximo que posso, procuro ajuda de alguém mais sábio. "Esta é uma batalha que precisa ser vencida sozinha", é o único conselho que recebo. Tento iniciar um diálogo comigo mesmo. Não há resposta. Saio sem direção. "Você já sorriu para alguém hoje?”, leio na traseira de um caminhão. Eu estava mau-humorado demais para sorrir sem motivos. "Amigo, compre flores e leve para sua esposa", oferece um ambulante mostrando um buquê sem nem mesmo receber o meu olhar de volta. Ele não sabia que eu não estava para flores naquela manhã. "É por isso que não posso me comunicar com você", ouço baixo. "Está tão viciado às formas antigas que não consegue perceber os mais variados idiomas que posso usar. De agora em diante procure observar melhor o mundo que o cerca", diz silenciosamente. Volto correndo. O vendedor de flores não está mais lá. O caminhão também já se foi. Fico eu, minha vontade de não errar mais e a certeza de que há oportunidades que jamais voltarão. O verdadeiro Soldado da Paz sabe que entender a voz do coração é discernir o que a vida deseja me ensinar.

Thiago Mendes


Sobre A Paz que Excede o Entendimento!

Todos nós estamos em busca de paz. Seguimos - cada um de nós, por estradas diferentes, mas no final de tudo, estamos procurando exatamente a mesma coisa: A Paz que Excede o Entendimento! Alguns a procuram nas riquezas, outros desejam encontra-la através de um grande amor e há ainda outros que a buscam nos ativismos do dia a dia escondendo a si mesmos atrás das cortinas do muito falar, do muito trabalhar, do muito correr - e isto sem jamais tirarem um tempo para pensarem se estão de fato seguindo pelo caminho certo! O Soldado da Paz sabe que o que define o fim de uma pessoa não é a velocidade que ela usa para atravessar os obstáculos da vida, e sim, a estrada que ela percorre. A Paz que Excede o Entendimento! Ela vem de dentro e não de fora! Ela é pura e não condicional! Ela é livre e não alienada! Ela é gratuita e jamais poderá ser comprada por dinheiro algum! Está à disposição de todos, mas só pode ser encontrada por aqueles que compreendem um dos mistérios mais revelados do Universo: se eu planto paz nos corações dos outros; minhas sementes se voltam nascem dentro de mim. Paz é assim: só podem ajuntá-la, aqueles que foram capazes de dividi-la!

Na Paz,

Thiago Mendes

Sobre um passo de fé!

O Soldado da Paz acredita em milagres. Ele já experimentou episódios milagrosos e não tem dúvidas que eles podem acontecer. Lembra-se da primeira vez que foi ferido em combate e de como sentiu seu corpo se fortalecer instantaneamente e por isso conseguiu carregar nos ombros um companheiro que estava em pior estado. Ouve uma vez em que estava cercado pelo inimigo e não tinha por onde sair. Completamente cercado o Soldado da Paz ouviu uma voz: “Dê um passo à frente e eles não irão mais te enxergar”. Ele sabia que se ele se movesse, poderia ser morto na hora, mas mesmo assim resolveu acreditar. Já conhecia aquela voz. Ouviu pela primeira vez quando era criança e jamais se esqueceria daquele timbre doce e amável. E totalmente encurralado o Soldado da Paz deu um passo à frente e assistiu seus inimigos se enlouquecendo, jogando golpes ao vento. Ele saiu tranquilamente do meio deles. O verdadeiro Soldado da Paz sabe que milagres existem, mas estão à disposição apenas daqueles que ousam dar um passo à frente.


Receba meu carinho,

Thiago Mendes

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Sobre equilíbrio, honestidade e uma ótima sopa!

Era início de noite e o jovem Soldado da Paz já terminava o jantar. Ele começara há apenas alguns meses nos estudos do Caminho Sagrado e mostrava um bom desempenho. Aquele dia havia sido cansativo, aprendera sobre o equilíbrio.  Quando vai tirar a panela de sopa da fornalha seu guia espiritual se aproxima. “Você é o pior de todos os alunos que já passaram por aqui”, fala em tom arrogante. O jovem não diz nada. Parece não se entristecer com o ataque. “Seu raciocínio é lento”, continua, “e além do mais está sempre desatento, tem memória ruim e já vi deixar as coisas caindo”. O aprendiz caminha até a mesa com a panela de sopa, serve primeiro o prato do mestre, depois o seu, e então finalmente responde. “Não é justo”, começa o jovem pegando duas colheres. “Eu vi seu plano de aula e já sabia que iria me afrontar na hora do jantar pra ver se eu deixaria o prato de sopa cair. Estamos estudando equilíbrio hoje e sei que queria testar pra saber se consigo me controlar quando sou desapontado”. O mestre abre um sorriso. “Eu não faço planos de aula. Deixei aquele papel cair de propósito. Estamos de folga amanhã. Iríamos estudar sobre honestidade, mas como você já aprendeu também esta lição - estamos liberados”. Os dois se calam. É hora de comer uma sopa temperada com equilíbrio e honestidade.
Aprendendo,
Thiago Mendes

Conheça mais sobre o trabalho e os livros do escritor Thiago Mendes no site: www.nacaoprimitiva.com

Sobre mudar para melhor!

Não basta melhorar, é preciso ter sempre a disposição de mudar para melhor. A maioria das pessoas propõe mudanças a si mesmas não porque possuem um plano de crescimento ou desenvolvimento específico, mas porque já não suportam a rotina a que são obrigadas a se submeterem todos os dias. Sendo assim, a mudança não vem como sendo fruto de desejo de progresso, mas por carência e porque para estas pessoas a vida se tornou um tédio tão repetitivo, que qualquer tipo de mudança – não importa de que natureza – já é um grande alívio para suas almas exaltas da mesmice. Mudar para melhor! Substituir uma alma cansada por outra nova – sem vícios. Trocar meu olhar já preconceituoso e cheio de reprovações por um novo - cheio de amor e compreensão! Trocar minhas lembranças ruins e amargas do passado pelos arco-íris que coloriram a minha infância.  Mudar para melhor! O Soldado da Paz aprendeu com o tempo e com a vida que não basta mudar. Temos que ir além – e ser a própria mudança!

Mudando,

Thiago Mendes

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Sobre o seu caminho!

Com o tempo acabamos aprendendo que a vida não é tão complicada e nem tão simples assim. É! Nós dificultamos demais aquilo que é muito simples e simplificamos de forma exagerada o que é realmente difícil de compreender. O Soldado da Paz sabe que não está nesta luta para tornar as coisas mais simples e nem mais complicadas. Nossa missão é fazer com que cada pessoa encontre seu caminho e se disponha a seguir por ele. O seu caminho! Às vezes é tão difícil entender o porquê de estarmos aqui nesta vida, correndo de um lado para o outro, tendo que dar duro, sofrendo decepções e sendo obrigados a relevar um infinito de situações para que viver não se torne insuportável. É realmente tão complicado! Mas podemos acreditar em respostas mais simples! Pode ser que tenhamos sido plantados aqui como sementes do bem para levar paz e harmonia. Em alguns momentos não somos capazes de tornar as coisas mais simples. Mas que pelo menos façamos deste mundo um lugar melhor de se viver!

Caminhando,

Thiago Mendes

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Sobre três inimigas e um riacho!

Três inimigas vieram juntas se encontrarem com o Soldado da Paz. O guerreiro está meditando sozinho à beira de um riacho quando as inesperadas visitantes chegam. “Você é o melhor de todos os guerreiros de seu tempo. Nunca vi ninguém lutar tão bem”, dispara a Vaidade. “Além disso”, complementa a Discórdia. “Os outros soldados não são tão dedicados à missão quanto você. Não lutam com tanta habilidade nem são capazes de se entregarem tanto ao grupo”. Abre-se um silêncio de alguns segundos até que a Inveja dá dois passos a frente e começa a falar. “A discórdia tem razão”, começa. “Não se dedicam tanto, mas mesmo assim sempre tem mais privilégios e são menos cobrados. Você merece mais que todos os outros. Não acha que é tempo de reivindicar os seus direitos?”. O Soldado da Paz fecha os olhos, ouve o barulho das águas e se lembra que a sua missão é exatamente como a daquele pequeno riacho. Ele está ali! Que bebam de suas águas! Que refresquem os seus corpos! Que vejam a si mesmos através dos espelhos de suas águas! Mas ninguém precisa exaltar sua existência. Neste momento o Soldado da Paz abre os olhos e suas inimigas já não estão mais ali. Talvez elas tenham surgido apenas na realidade de sua mente. A lição foi aprendida. Se o Soldado da Paz sabe que está fazendo a coisa certa, ele não precisa ouvir de mais ninguém sobre a nobreza de seu trabalho.


Na fé,

Thiago Mendes

Sobre seguir sempre em frente!

Hoje acordei decidido a continuar. Entendi que quando não se tem nenhuma escolha, o melhor é olhar apenas para frente. Quem vive mudando de direção jamais conseguirá encontrar o melhor caminho. Na verdade, o melhor caminho é aquele que cada um de nós decidiu seguir firmemente, sem direito a retrocesso! Todo bom Soldado da Paz sabe que devemos ser abertos a novas possibilidades, mas quem vive buscando novos caminhos o tempo todo, jamais conseguirá chegar a lugar algum. Cada Soldado da Paz tem liberdade para construir sua própria estrada e para escrever seu próprio destino, mas isto não significa que estamos ilesos de sofrer as conseqüências dos erros que cometemos. Seguir em frente! Corrigindo erros, afinando as cordas, detalhando os paços, ensaiando peças e, tudo isso, seguindo sempre em frente. Um Soldado da Paz não tem o direito de mudar todo o seu percurso apenas por causa de um ou outro obstáculo do caminho. Ele sabe que os obstáculos só servem para destruir os fracos e fortalecer os vencedores.

Caminhando,

Thiago Mendes

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Sobre a visita do Mestre

 Soldado da Paz acordou assustado no meio da noite. Ele estava cansado demais para se levantar e orar, mas sabia que não podia ficar quieto. Ouvira uma voz e tinha certeza disso. “Quem será?”, perguntou a si mesmo enquanto se levantava em silêncio caminhando pela tenda escura. “Quem está aí?”, grita alto tentando intimidar o possível inimigo. “Sou seu Mestre”, respondeu uma voz grave e firme. “Vim para dizer a você que estamos juntos e jamais irei te abandonar”. O Soldado da Paz cai de joelhos e começa a chorar. “As lutas são muito grandes, a espada está pesada e sinto que não possuo mais o mesmo amor de antes. Dê-me a chance de abandonar meus homens e minha missão”, pede ele ajoelhado aos pés de seu Senhor. O Mestre permanece em silêncio por alguns segundos, respira fundo e finalmente lhe dá uma resposta. “As lutas são realmente grandes, mas eu já as venci para você”! A espada é realmente pesada, mas isto é porque permiti que você tivesse braços fortes para carregá-la; e o amor realmente não é o mesmo de antes: ele amadureceu. Hoje você é mais consciente do que de fato é o amor. Amar não é dizer sim sempre! Agora, volte para a tenda e durma, pois amanhã há muito a realizar”. Quando o Soldado da Paz ia revidar o Mestre já não estava mais ali. Ele volta, deita-se e dorme. Amanhã será um novo dia enfrentado por um novo homem. Sua missão está confirmada.

Abraço Fraterno,

Thiago Mendes

Sobre os anjos!


Há dias em que o Soldado da Paz está cansado a ponto que não conseguir mais nem mesmo segurar a sua espada. O combate está acontecendo. Ouve gritos de seus companheiros – todos precisam dele neste momento. Ali, eles não precisam do homem, do nu, querem o herói de volta. As forças não ajudam. Ele cai de joelhos sob a espada e pergunta aos Céus se ainda há alguma força que pode vir de algum lugar. Nenhuma resposta é dada. Ele já ouvira histórias do passado em que os guerreiros pediam esse tipo de socorro e anjos apareciam para salvá-los, mas agora parecia não acreditar mais em nada disso. Esta não era a primeira vez que ele se sentia covarde e incapaz de fazer qualquer coisa àqueles que lutavam ao seu lado – estava fraco e incrédulo demais para qualquer golpe. Algum jovem soldado desconhecido vem até ele com olhos arregalados, desesperados e brilhantes: “Seu exército depende de você! Não precisa dar nenhum golpe, apenas sua presença irá fortalecer seus homens e serão capazes de nos dar a vitória”. Ele havia pedido um anjo, não um garoto que mal sabe manusear a espada. Mesmo assim resolve se levantar e ir com ele ao campo de batalha. Quando os homens percebem que o Soldado da Paz se aproxima ficam eufóricos e lutam com mais bravura. Ele fica de longe, realmente não consegue levantar a espada – mas mesmo assim conquistam uma grande vitória naquela noite. Depois do combate, acendem a fogueira e vão conversar. “Porque você veio se juntar a nós estando tão cansado? Deveria ter ficado na tenda!”, diz um de seus generais. “O jovem soldado que você mandou para me chamar acabou me convencendo”, responde. “Você está louco? Não enviamos nenhum soldado!”. Ele não diz nada, mas entende o recado. Os antigos estavam certos - os anjos existem. Às vezes aparecem disfarçados, mas sempre aparecem!

Abraço Fraterno,

Thiago Mende 

O pastor e escritor Thiago Mendes está ao vivo de segunda a sexta-feira das 9 às 11 horas da manhã na Rádio Primitiva. Ouça pelo site: www.nacaoprimitiva.com

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Sobre o pastor de Zoar

O ano de 2007 foi muito especial para mim. Sim! Durante 15 dias me concentrei em escrever o livro O pastor de Zoar. Foi incrível! Convivi com José (personagem principal da história) e suas poucas ovelhas, caminhei pelas ruas de Zoar e estive com ele quando resolveu seguir seu Sonho Individual. Passei por cada cidade onde esteve e aprendi cada lição ensinada ali. O pescador, o filho do rei, o amor de Elena e seu encontro com o Rei de Salém. Cada episódio, cada conceito filosófico, o Caminho das Possibilidades e todos os encontros ficaram marcados para sempre em meu coração. De vez em quando resolvo reler o livro e agradeço a Deus por ter me permitido estar ali para viver tudo aquilo e escrever cada linha da história. Para mim o pastor de Zoar não foi apenas o meu melhor livro, foi também minha maior viagem até hoje.

Quando puder, leia o livro. É realmente uma viagem emocionante. Se desejar adquirir, envie um e-mail com seu endereço de entrega para: thiagomendes@nacaoprimitiva.com e iremos te enviar a conta bancária para depósito. Vai chegar a sua casa por R$ 24,90 sem frete. Quem já leu comente!

Abraço Fraterno,

Thiago Mendes

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Sobre o trem e a vida!

A vida está passando rápida demais. Sinto-me como se estivesse dentro de um trem sentado do lado da janela vendo cada coisa passar lá fora! Tudo vai ficando para traz. Cada árvore, montanha, cada vila perdida no meio do nada, cada criança que corre atrás do trem se divertindo com a viagem dos outros! Tudo vai ficando. Alguns amigos que estão na mesma viagem vão descendo nas próximas estações e com um adeus frio, sem maiores, partem para outra caminhada. Da mesma forma desconhecidos vão entrando, tentam puxar assunto, mas antes que possam ser chamados de amigos já mudam de vagão.    Enquanto isso estou aqui. Comendo na mesma panela, sentado na mesma janela, vendo o mesmo mundo passar ligeiro lá fora. Um dia vou descer do trem e não farei mais parte desta viagem. Mas o mais importante é que outros continuarão saindo e entrando nas próximas estações. Estamos na primavera. Acho que ainda não é hora de descer. Deixem o trem seguir em frente. Deixem o mundo que ele corta ficar para traz. Está vazio? Não se sinta assim, há mais pessoas neste vagão e elas estão sentindo exatamente a mesma coisa neste momento. Compartilhe a viagem. Compartilhe a vida. E faça isso antes que o maquinista grite seu nome e diga que chegou a sua vez. 


Nos trilhos, na fé e no amor,


Thiago Mendes


domingo, 2 de outubro de 2011

Sobre o mestre, o chá e alguns biscoitinhos!

O Sol nem havia surgido de entre as montanhas e o velho sábio já estava terminando de fazer o chá. O jovem aprendiz está de pé na porta e observa o mestre. “Já estou aqui há três meses. Quando começaremos nossas aulas?”, quis saber o aluno aparentemente indignado. O mestre já havia ensinado sobre os segredos do Caminho Sagrado a centenas de outros jovens como aquele. De entre aquelas montanhas saíram verdadeiros mestres. Seu prestígio era reconhecido em toda a redondeza. Não precisava provar o seu valor a ninguém. Ele não se defende. Pega o chá bem quente, coloca num caneco e entrega ao rapaz já impaciente. Em seguida serve alguns biscoitos que acabara de assar e entrega ao jovem que não diz nada. “Há três meses”, começa o velho. “Estou me levantando de madrugada para fazer chá. Há três meses sirvo em suas mãos. Há três meses estou tentando fazer com que você entenda nossa primeira aula e ainda não aprendeu. No dia em que eu me levantar e o chá estiver pronto, os biscoitos assados e eu for servido, acredite, passaremos para a próxima lição”. O jovem abaixa a cabeça, abraça o mestre e pede perdão. Não adianta admirar bons exemplos, precisamos ter coragem para segui-los.

Aprendendo,

Thiago Mendes

Daqui pra frente!

Vai com fé que dá. Você já tem muita luz, são se ofusque. Não se acanhe com olhares de reprovação. Não se abale com comentários negativ...