quinta-feira, 15 de agosto de 2019

A sutileza!

Não é ‘‘no braço’’, é no abraço. Não é a força do golpe, mas a habilidade de bater sem abater. Quando alguém precisa gritar pra ser ouvido, é porque já tornou-se, no mínimo, invisível.  Trabalhe a sutileza do gesto, mova-se em silêncio, na palavra branda, assertiva. Não é o pulo que alimenta o gato, mas seus passos quase imperceptíveis. Intuição, controle emocional e capacidade de perceber os detalhes farão toda a diferença.
Thiago Mendes

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

A sortuda e a miserável!

Já viveu tanto, mas segue a impressão de não ter experimentado nada. Falta emoção, sobra tédio e, para todos os lados que olha - tudo igual. Falta coragem pra tomar as decisões que gostaria. Falta forças pra reagir contra uma vida que parece injusta e sem sentido. Está no vale das indecisões: “Se eu fosse mais despojada, se alguém me visse mais de perto; e se eu gritasse contra tudo e todos?!”. São só ensaios de uma rebelião que  provavelmente nunca virá. Os anos passam, mas é como se para ela o mundo não girasse. Tudo segue igual: raso, chato, solitário e inexplicavelmente sem sentido. Para os outros, a sortuda. Para si, a miserável. 



Thiago Mendes 

segunda-feira, 29 de julho de 2019

Fé, pureza e simplicidade!

Se apegue ao que é simples, puro e verdadeiro. Coisas leves, sutis e sussurrantes são mais penetrantes e 
duradouras. Não é no grito que serás ouvido. Coerência, serenidade, controle em momentos extremos e personalidade iluminada, tornam-nos confiáveis e até nossos silêncios ecoarão a tempos e a distâncias inimagináveis. É de dentro para fora que se constrói seres nobres e cheios de amor. Comece acalmando esta alma cheia de ansiedade. O resto é processo, tempo, disciplina, fé, concentração e determinação. 

Thiago Mendes

quinta-feira, 7 de março de 2019

HUMILDADE!

Então acabei aprendendo que chegando a soberba, vai-se o encanto. Felizes sejam todos estes que sabem preservar a humildade em tempos de bonança, e a postura de honra em tempos de escassez. Que respeitam, amam, são confiáveis, generosos e cheios de ideais que inspiram. Estes que preferem a discrição, que não sufocam os sonhos alheios e que compartilham suas vitórias e derrotas com a mesma confiança. Sabem que a vida mais difícil, é também aquela que forma o guerreiro mais forte.

Thiago Mendes

O golpe fatal!

Pior que a ausência, é uma presença ausente, distante, de alguém do qual não nos sentimos mais parte. Gente que partiu, mais ficou. O coração, os sonhos e a alma se foram, mas manteve-se um corpo – triste, frustrado, amargo e culpado pelo medo de se assumir. Estas presenças amorfas, não compartilhadas – emudecidas em suas emoções, das quais se espera ouvir algo – mesmo que seja o “pior”, mas nada. E às vezes a gente para e pensa: “O que eu fiz, afinal, para merecer tanta indiferença, tanto desprezo?” Nada. Aconteceu. Reina um silêncio pesado, tenso – como se a próxima palavra fosse a última, o golpe fatal – mas o golpe não vem.
Thiago Mendes

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Estou tentando aprender a ser grato a todo mundo.


Quem me perseguiu, fez-me mais astuto. Quem me humilhou, tornou-me mais humano ao experimentar a dor da vergonha. Quem não me assistiu, serviu-me de motivação quando soube de algum amigo em apuros; foi lembrando-me de quem não veio, que decidi ir. Sendo assim, se me fizeram bem ou mal, o que importa é que assim fui feito. Sem birra, nem mágoa, e sem esperar que o universo vingue meus flagelos. Não há flagelos. Tornei-os gratidão. Com gratidão a dor vira amor; a humilhação, humildade; o abandono, presença. De maneira que aprendemos a dar até mesmo aquilo que não recebemos.      


Thiago Mendes

A batalha sem “fins”!

Aqui da janela vejo almas aflitas enfrentando tempos difíceis numa batalha sem fim e sem fins.  Vejo corpos exaustos que clamam por trégua e um pouco de paz. A mulher ao telefone, o homem na bicicleta, o motorista no sinal, o malabarista que o distrai em busca de trocados - todos fitando o mesmo lugar: nenhum. Os olhos são vagos, sem vida - desprovidos de emoção - coisa de gente inserida numa batalha sem fim. Sem fins. E eu aqui da janela – sem fim.
Thiago Mendes

A sutileza!

Não é ‘‘no braço’’, é no abraço. Não é a força do golpe, mas a habilidade de bater sem abater. Quando alguém precisa gritar pra ser ouvido,...