segunda-feira, 27 de junho de 2016

Sobre esta vida: curta, sofrida, entediante!

A vida é curta, sofrida e entediante. E o pior é que gastamos boa parte dela com coisas sem importância e com pessoas desinteressantes, e isso, sem falar nos projetos que não darão em nada, naqueles sonhos encharcados e ilusão, nos trabalhos que terminarão por quase nos matar - mas que jamais darão algum resultado e há ainda aquelas pessoas que nos sugarão até os ossos, mas que jamais serão gratas por qualquer esforço dispensado. Perdemos muito tempo, e com ele vai a vida. A única vida. Curta, sofrida, entediante. Não, isto não é um desabafo – mas um aviso. Aos desocupados, digo que peguem seus trilhos. Aos exploradores, já me libertei há um bom tempo. Aos ingratos, meu senso de missão fala mais alto que seu desprezo. Lá vai o tempo, lá vai a vida, lá vamos nós...

domingo, 19 de junho de 2016

Sobre a princesa de papel!

Ela ama o universo das intensidades. Adora soltar os cabelos e a alma. Ama sorrir, abraçar, caminhar sem destino e chorar sem motivos claros. Ela é excessivamente verdadeira, essencialmente positiva e exageradamente apaixonada pelo universo que lhe cerca. Cheia de dramas, de charme, de medos secretos e de um milhão de perguntas que a vida simplesmente insiste em não lhe responder. Não faz mal. Ela é feliz assim, em sua “doce inocência...”.

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Sobre a sorte!

A sorte é generosa para com aqueles que não esperam nada dela, e implacavelmente perversa com quem vive contando com seus milagres. Se o guerreiro se manteve vivo em combate por sorte hoje, não significa que isso se repetirá amanhã. O Soldado da Paz sabe que não pode contar com o deslize do adversário, ou com uma mudança nas condições do tempo para vencer o combate. “A sorte já me favoreceu mais de uma vez”, conta ele orgulhoso. Mas sabe que todo livramento é também um aviso de seu anjo dizendo: “não passe mais por aí, treine mais esse golpe, não menospreze seus adversários”. E ele ouve seu guardião. Jamais desprezará a sorte que lhe livrou, mas nunca fará dela o motivo de seus triunfos.

terça-feira, 14 de junho de 2016

Sobre o rigor e a doçura!

O Soldado da Paz evita os exageros. Ele aprendeu que uma das maiores qualidades que um guerreiro pode desenvolver é a do equilíbrio. Por isso mede seus passos, avalia a intensidade de sua presença, tenta ter postura firme e amável quando precisa repreender um companheiro, e se coloca sempre no lugar do outro ao julgá-lo. Aprendeu que a justiça é feita quando existe a união entre o rigor e a doçura. E assim o Soldado da Paz segue o seu caminho: nem de mais, nem de menos. Nem tudo, nem nada - na medida. Quando entende que está exagerando, ele para e recomeça. Afinal, é melhor perder o tempo que perder o juízo!

Sobre a coragem!

A coragem é um ato de nobreza e precisamos dela tanto para iniciar quanto para encerrar ciclos. A coragem que diz ao guerreiro: "Vá ...