terça-feira, 27 de julho de 2021

No amor me escondo e me curo!

Preciso, como nunca, desenvolver a prudência, o equilíbrio e a paciência. Quero aprender a selecionar melhor as palavras e fazer delas instrumento de alento e edificação a todos que se aproximarem. Tenho, mesmo que lá de vez em quando, os meus tiques de nervosismo e ansiedade – e eles provam o quanto necessito evoluir em espiritualidade, confiança e controle das emoções. Não quero me tornar um puritano proclamador moralidades, mas sei que até para os prazeres existem critérios e que todos os exageros conduzem à loucura. Tenho tentado ser mais seletivo com quem trago à minha tenda, e falado menos sobre meus sonhos e desejos. Meus passos têm sido mais curtos, firmes, cautelosos e estou aprendendo – depois de muitas feridas evitáveis - a protege minhas emoções. E assim no amor me escondo e me curo; e só depois para o amor me revelo.

Thiago Mendes

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Se descobrindo e se desconhecendo"

 Estou me descobrindo e me desconhecendo. Tenho vivido uma adrenalina excitante, curiosa, corajosa, desafiadora; uma ansiedade que me leva a imaginar e fantasiar - o que em tempos outros eu jamais permitiria. Do lado de fora tudo é brisa. Mas aqui dentro tudo é brasa. Não me sinto culpada ou julgada e também não me sentiria confortável em sair por aí vivendo todas as emoções que efervescem minha mente.  É algo meu, aqui de dentro. Brinco com meus pensamentos, divirto-me com umas ideias danadas e, às vezes, me pego sorrindo sozinha. Nada demais. É só mais uma mulher que se descobre e se desconhece.

Thiago Mendes

domingo, 25 de julho de 2021

A vida pede mudanças!

Às vezes a vida pede mudanças e, se não oferecemos, ela contra-ataca gerando insatisfação. Os dias tornam-se pirracentos e entediantes, o trabalho fica mecânico, pouco produtivo, e a gente começa a ter que se arrastar da cama a cada manhã para realizar o que passamos a chamar de “nossas obrigações. Sentimo-nos tristes, frustrados e não realizados.  Os insensíveis vão driblando a frustração e seguem se arrastando e se justificando: “Pelo menos temos o que fazer”. Já outros, mais intuitivos, param, ouvem seus corações e se perguntam: “Quais mudanças a vida pede para o meu agora?”. A resposta sempre aparece. Logo se reencontram, se entusiasmam e voltam a sentirem-se plenos. Os resultados irão provar que fizeram a coisa certa quando aceitaram promover as mudanças que a vida lhes pediu.

Thiago Mendes

quinta-feira, 22 de julho de 2021

Dependência emocional!

Não dependa emocionalmente de ninguém. Compartilhe a vida, não seja egoísta, tenha prazer na companhia das pessoas, construa e mantenha quantas amizades puder, goste de gente, de parente e conviva bem em todos os seus ambientes – do familiar ao eclesiástico; do profissional ao recreativo – não se esconda, não se acanhe e sim, compartilhe favores! Mas por favor: não dependa emocionalmente de ninguém. Não viva para suprir caprichos, para alimentar egos alheios, não se alune para dar prazer a ninguém, não se diminua a fim de ser aceito, e jamais permita que uma alma tirana suprima a sua autoestima.  Nunca diga: “Eu não vivo sem você”. Não entregue o seu poder de existência a outrem. Seja firme. Deixe claro as suas posições. Não esconda suas preferências. Exponha ideias, proponha diálogos e procure estar sempre bem consigo mesmo. Crises todos nós temos, mas não dependa emocionalmente de ninguém.

Thiago Mendes

quarta-feira, 21 de julho de 2021

Bem mais do que recebemos!

Você é uma mulher única e dotada de múltiplas qualidades. Admiro essa sua capacidade de se reinventar e de seguir sempre adiante. Já engoliu muito choro, já sangrou sem fazer alardes e aguentou coisas que nem você acredita, e segue de pé. Tem suas cicatrizes, seus ressentimentos guardados, nunca irá se esquecer das humilhações que sofreu e nem das vezes que duvidaram de sua capacidade. Mas por nobreza de alma preferiu não transformar a vida em um campo de batalhas. É serena, pacífica, trata com ternura e acolhimento – inclusive aqueles que lhe atiraram pedras e edifica seus dias acreditando que a vida vale realmente a pena quando entregamos a ela bem mais do que recebemos.

Thiago Mendes

quarta-feira, 14 de julho de 2021

Na hora do desespero!

Aprendi que na hora da tempestade tudo o que nos resta a fazer é fechar os olhos e torcer para que passe logo. O vento forte, os raios lá fora, as janelas que batem agredidas, o medo - sentimo-nos, e de fato somos, incapazes de mudar qualquer coisa. O segredo é não entrar em desespero e aguentar até o fim resguardando as energias para reconstruir depois. Na nossa vida também é assim: às vezes o que nos resta é suportar, não intervir, esperar desfechos e recomeçar. Os dias maus existem e neles questionamos nossa missão, o sentido de todo esforço e renúncias, a lealdade das pessoas e até a bondade dos Céus. Mas é só fechar os olhos, não entrar em desespero e se apegar a uma única certeza: “vai passar e estarei de pé para reconstruir”.

Thiago Mendes

domingo, 11 de julho de 2021

Plenitude!

Existe um vazio estranhamente sedutor na plenitude. Você tem tudo o que a maioria sonha e reconhece que a vida lhe tem sido surpreendentemente generosa, mas ainda assim lhe falta algo. Você se arruma toda, se olha no espelho, sente-se linda, realizada e, antes de sair, olha pela janela e vê o infinito de luzes que desaparecem no horizonte. E aí você se sente exatamente como a cidade vista a noite do alto de sua janela: imponente, iluminada, romântica, mas solitária. Você não reclama de nada, jamais faria isso. Curiosidade? Excitação? Desejo por aventura, perigo e emoção? Não sabe e não importa. É só esse vazio estranhamente sedutor que habita a plenitude.

Thiago Mendes

Acreditar!

Eu sei que estás comigo, Senhor. Confesso que agora não estou sentindo sua presença, mas continuo crendo que nunca irá me desamparar.  Meus sentimentos muitas vezes são errantes e imprevisíveis, mas a fé me ajuda a seguir adiante. Dê-me ânimo, força e esperança para que, mesmo quando não estiver sentindo, eu continue acreditando. Amém.  

Thiago Mendes

Evolução espiritual!

Ajuda-me a errar menos, Senhor. Que eu tenha passos mais equilibrados e que seja capaz de medir, cautelosamente, cada uma das minhas ações a...