quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Jávier, o aprendiz, e Álih, seu guia, estão meditando quando aparece um sujeito já de meia idade que faz uma pergunta ao velho: “Santo homem, como me aproximo de Deus? O velho sorri. “Divirta-se. Louve o Criador com sua alegria”, foi a resposta. Os dois continuaram a meditar. Logo, um jovem aproximou-se: “O que faço para me aproximar de Deus?” O velho fecha a cara e fala com rispidez: “Não se divirta. Leve uma vida de sacrifício e renúncia”. Quando o jovem partiu, o discípulo comentou: “Não me parece honesto dar respostas diferentes a perguntas iguais”. O velho sorri. “Nenhum dos dois irá seguir meu conselho a risca. O homem de meia idade já está perdendo as forças, não tem muito ânimo, talvez minhas palavras motivem-no a se alegrar nestes seus últimos anos. Já o rapaz está cheio de energia, com isso, pode cometer exageros. Talvez minhas palavras ajudem-no a se equilibrar um pouco. “Assim, com um pouco de sorte, ambos encontrarão um lugar sagrado chamado equilíbrio”.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Sobre as lágrimas de sal!

A vida é uma estrada de muitas curvas. Às vezes as coisas mudam rápido, drástica e impiedosamente e o pior é que nem sempre estamos preparados para tais mudanças. Nós não precisamos ser invencíveis, mas certamente é necessário que sejamos capazes de nos adaptarmos aos novos cenários, às novas realidades que nos são impostas pela vida. Ninguém escolhe perder ou sofrer, mas há momentos em que tudo o que podemos fazer é aceitar. E, embora não tenhamos escolhido a derrota ou o sofrimento em si, na grande maioria das vezes, são justamente as escolhas que fazemos que produzem tais males. Aí caberá a nós mesmos o desafio de aceitar a dor e fazer dela um novo molde ao nosso caráter. Aí caberá a nós mesmos o desafio de rever nossas atitudes e seguir com a vida – apesar de todos os seus pesares. Não nos prostremos ante o sofrimento. Não aceitemos ser afogados no rio de lágrimas e sal. Que possamos chorar todas as lágrimas possíveis e necessárias, mas que lá no final cada uma delas tenha nos valido a pena”.

Thiago Mendes

Daqui pra frente!

Vai com fé que dá. Você já tem muita luz, são se ofusque. Não se acanhe com olhares de reprovação. Não se abale com comentários negativ...