quarta-feira, 30 de setembro de 2009

Quando um lugar se transforma em nosso lugar

Ontem estive falando aos amados da Primitiva Caldas e sinceramente fiquei intrigado com o lugar. Todos, incluindo os meninos, as meninas, nossa monitora, Eliana Borges, as mulheres que vão buscar uma resposta de Deus, todos me encantaram com a fome de Deus e a disposição e simplicidade no Evangelho.
Preguei algo tão simples, mais via no brilho do olho de cada um o amor pelo “ali estar”. Tudo ali me encantou e no final quase me mataram de rir, com umas loucuras deles lá. Um tal Capacete da Salvação (capacete velho sem viseira, ridículo!) e disseram que fizeram um tal de Cachorro Crente. Você imagina, que loucura. Mostraram-me ainda um teatro que tem uns personagens estranhos. Acho que tem um que chama Bactéria e mais uma turma lá. Muito legal, e até pedi que apresentassem no Acampados.

Acho que foi amor à primeira vista, por todos. Seus olhinhos espertos, curiosos, seus ombrinhos desejosos de um abraço, as mulheres com olhar cansado das labutas da vida, mais ansiosas por verem o mover de Deus em seus lares, casamentos, as moças e a beleza natural que a vida lhes oferece de graça, e seu olhar de: “Nossa, agora a esperança entrou em nossa vida”.

Parabéns, parabéns de todos: meu, da Bispa Fran e do pastor Israel.

Abraço Fraterno,
No amor Daquele que abundantemente nos amou,

Thiago Mendes

terça-feira, 29 de setembro de 2009

O Soldado da Paz brasileiro: não desiste nunca!

Um verdadeiro Soldado da Paz não desiste fácil. Pra falar a verdade, um Soldado da Paz jamais desiste. Nosso pior problema não é perder da primeira vez, e sim, desistir. Perder é aceitável para um vencedor, desistir não. Portanto, perca, mas jamais desista! Da mesma forma que um homem tem o direito de chorar e nem por isso tem o direito de se tornar um covarde, qualquer guerreiro tem o direito de perder. Um guerreiro pleno vive de vitórias e derrotas, mas o verdadeiro Soldado da Paz não vê relação nenhuma entre perda e desistência.

Se já tentou algumas vezes e não deu certo, tudo bem, apenas não desista desta vez.

Abraço Fraterno,

Thiago Mendes

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

ONDE DEVEMOS ESTAR?

Quando subimos ao alto de uma montanha podemos ver o vale, a cidade, as outras montanhas, as rochas e as nuvens.
O Senhor costumava mandar seus profetas subir as montanhas, para conversar com Ele.
Quando estamos no alto, somos capazes de ver tudo pequeno.
Do alto da montanha, vemos como o mundo é grande, e os horizontes são largos.
Nossas glórias e nossas tristezas deixam de ser importantes. Aquilo que conquistamos ou que perdemos fica lá embaixo.
É melhor estar em cima. Perto dos braços do Senhor!


Thiago Mendes

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Cavalo e pum de mentira: a doce rotina de uma noite qualquer

O Israel agora não me dá mais sossego. Todos os dias antes de dormir tenho que me “transformar” em cavalo para suas perigosas montarias. O pior é que ele gosta é de coisa perigosa e enquanto o cavalo (eu) fico esperando ele montar, o espertinho fica em pé em cima de mim e fala: “Papai, to no monte” e eu fico orgulhosamente bravo e digo pra descer, querendo que fique só mais um pouquinho. E o pior é quando ele inventa de dar as suas rajadas de puns de mentira para o meu lado. E eu digo: “Ei rapaz, eu sou o seu pai e não se solta puns em pai, ai que fedo!”. Aí ele dá aquelas rajadas, não de puns, mais de risadas exageradas.

Depois disso tudo, faço cócegas nele até que a mãe dele vem “braba” com a mamadeira: “Nossa, vocês dois só sabem fazer bagunça, todo dia”. Ele me olha desconfiado tipo: “ai ai ai, acho que hoje apanhamos”. Dou uma piscadinha, ele pega o mama e vai para o berço e logo dorme. Esta é a doce rotina de todas as noites divertidíssimas lá em casa. Que dure, enquanto nós durarmos,

Thiago Mendes

segunda-feira, 21 de setembro de 2009







A BELEZA ILUSÓRIA DE UM MOMENTO


O Soldado da Paz não se empolga com momentos bons, porque sabe que nada é bom para sempre. E Também o Soldado da Paz não se desespera com uma derrota qualquer, pois amanhã as tropas estarão enfileiradas novamente e tudo poderá ser diferente. Aqueles que são soldados prudentes entendem que devem viver o momento e aproveitar o máximo dele, mais jamais fazer da vida um momento apenas.

Uma ótima semana para você. Que Deus te abençoe.

Abraço Fraterno,

Thiago Mendes

sábado, 19 de setembro de 2009

AS COISA QUE A VIDA ESQUECEU DE ME ENSINAR

Era um dia chuvoso de verão, dia do meu aniversário e a vida havia escolhido me dar um grande presente. Eu tinha aprendido que podemos ter apenas uma chance de fazer uma grande pintura em todo o decorrer de nossa existência e não podemos deixar as oportunidades passarem diante de nossos olhos sem agarrá-las. Eu já havia perdido oportunidades antes e eu sabia como era ruim olhar para trás e saber que tínhamos tudo para ser felizes, mais jogamos fora de propósito esta chance e agora eu podia ser feliz. Aquele podia ser o momento de eu abraçar o que poderia ser o amor da minha vida e não poderia deixá-lo escapar. Uma banca de revistas, um bom papo, um café que não paguei mais também não bebi, as palavras de sabedoria de dona Izaíra e agora sair dali de mãos dadas direto para a felicidade.
Retiado de: "As coisas que a vida esqueceu de me ensinar" - Lançamento Breve!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

O RABINO E O EXECUTIVO


Acostumado a viajar o mundo inteiro, certo executivo chegou certa tarde ao Cairo, e resolveu encontrar-se com um famoso rabino que vivia por lá.
O rabino recebeu-o da melhor maneira possível, e passaram a tarde inteira conversando sobre os desígnios de Deus. Pouco antes de despedir-se, o executivo comentou com o rabino que ficara muito impressionado com a simplicidade da sua casa; apenas uma mesa com duas cadeiras, e uma cama.
“E o que você tem aqui?”, perguntou o rabino.
“Tenho apenas uma mala, mas – afinal de contas, estou aqui de passagem”, respondeu o executivo.
“Eu também”, disse o rabino. “Eu também estou aqui de passagem”.


"A história não se lembrará de nós por aquilo que tivemos, e sim por aquilo que verdadeiramente fomos e fizemos".

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

A QUESTÃO DO LIVRE ARBÍTRIO - Polêmica


O padre ficou calado por alguns minutos, a lua estava tímida no céu, a cidade já estava dormindo, só o garoto e o velho padre continuavam sentados ali na porta da igreja. A pergunta do menino não era fácil de ser respondida. O padre ficou pensando:
— Se Deus soubesse mesmo de tudo, o seu saber não combinaria com o amor e a misericórdia, pois sabendo de tudo, ele saberia de todas as tragédias futuras e sendo todo poderoso, ele poderia impedir as desgraças.
Inclusive, quando Deus criou o Homem, ele o criou perfeito, para ser perfeito, criou para viver em paz e bem. Deus fez também um belo jardim cheio de árvores, de animais, cercado por vários rios, inclusive o rio Tigre, e Deus estava muito animado com sua criação. No meio do jardim, Deus colocou uma árvore proibida, mas por que no meio? Deus podia ter colocado aquela árvore em qualquer outro lugar, mas fez questão de colocá-la no meio e ainda disse para o homem não comer dela.
— Talvez se Deus não tivesse falado nada, o homem nunca teria comido, mas, com a sugestão de Deus, Adão acabou por não agüentar, e depois de o homem ter comido do fruto da árvore proibida, Deus ainda veio e perguntou a ele o que tinha acontecido, sendo que, mesmo antes da criação Deus já sabia que aquela maçãzinha ia mesmo ser mordida pelo homem. E se Deus sabia, por que criar?
O velho ficou ali por muito tempo pensando em tudo aquilo. O garoto já estava dormindo em seu colo. Ele passava a mão no rosto do menino e, enquanto isso, descobriu de onde vinham aqueles pensamentos estranhos sobre Deus.
— O Criador é sempre bom, mas durante a noite os portões do inferno são abertos e muitos espíritos saem. Esses espíritos são os responsáveis por todos os nossos pensamentos impuros e mesmo aqueles que acontecem durante o dia, quando tem alguma bela mulher por perto, ou quando se vê algum comerciante contando seus montes de dinheiro e dá uma vontade de ter um pouco também, todos esses pensamentos são causados pelos espíritos e devemos vigiar nossas mentes, para que elas continuem puras e não sejam influenciadas por eles, pois dizem que Deus não sabe das coisas e, se sabe, não é bom.
Quando o padre pensava nisto veio um vento mais frio. Ele se levantou com o menino em seus braços e foi dormir.

Texto retirado do livro Soldado da Paz – Thiago Mendes, agosto de 2006
.

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Que ninguém se lembre de nós


No mosteiro de Sceta, o abade Lucas reuniu os frades para o sermão.
- Que vocês jamais sejam lembrados - disse ele.
- Mas como? - respondeu um dos irmãos. - Será que nosso exemplo não pode ajudar quem está precisando?
- No tempo em que todo mundo era justo, ninguém prestava atenção nas pessoas exemplares - respondeu o abade. - Todos davam o melhor de si, sem pretender, com isso, cumprir seu dever com o irmão. Amavam ao seu próximo porque entendiam que isto era parte da vida, e não estavam fazendo nada de especial em respeitar uma lei da natureza. Dividiam seus bens para não terem que ficar acumulando mais do que podiam carregar, já que as viagens duravam a vida inteira. Viviam juntos em liberdade, dando e recebendo, sem nada a cobrar ou culpar os outros. Por isso seus feitos não foram contados, e eles não deixaram nenhuma história.
“Quem dera, pudéssemos conseguir a mesma coisa no presente: fazer do bem uma coisa tão comum, que não haja qualquer necessidade de exaltar aqueles que o praticaram”.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

APRENDI QUE O AMOR É COMO UM RIO


O amor é como um rio. Passa sempre, sem nunca deixar de estar ali – isto se suas fontes não pararem de fornecer vida. Mais se as minas deixam de alimentá-lo, ficam apenas o seu sinal; o sinal de que em algum momento ali existiu vida, peixes, plantas, mais que pelo fato de as minas terem secado, o rio parou. Por isso tudo que tenho a dizer é: por favor, não deixe a fonte secar. Ame sempre um pouco mais, ofereça de graça algumas gotas de seu amor todos os dias. Um grande rio nasce de pequenas gotas que brotam do chão, assim, da mesma forma, um grande amor brota de pequenos atos de bondade para com um ser chamado outro.
Não é bom permitir que nosso coração se endureça para compreender que existem pessoas a serem amadas. Sim, existe um universo inteiro precisando ser abraçado, compreendido, menos julgado. Cada julgamento que fazemos é uma condenação às gotas de amor que podem brotar de nós. Pense nisso.

"O amor é capaz de contaminar a vida"


Thiago Mendes



terça-feira, 8 de setembro de 2009

Você sabe realmente quem você é?


O ser humano não sabe quem ele é. O Ser humano não sabe o que quer. O que é objeto de absoluto desejo hoje, é obsoleto amanhã. As pessoas que nos cercam hoje, podem se transformar em nossos maiores inimigos amanhã e segundo conveniências, até os inimigos podem voltar a se aliar a nós. Aqueles que defendemos agora, se tornam o objeto de nossas perseguições por via de qualquer coisa em um tempo curto. A grande maioria de nós não sabe o que quer, nem sabe quem é.

“Não podemos nos petrificar e ser os mesmos por toda a vida, nem tampouco podemos viver sem ter identidade, sem saber quem realmente somos”.


Thiago Mendes

terça-feira, 1 de setembro de 2009

Arranhões e golpes fatais: uma questão de vida ou morte!


Quando um Soldado da Paz perde uma batalha ele passa a noite meditando no porque daquela derrota, mas isso não significa que ele está desesperado. Ele sabe a diferença entre não se conformar com a perda e se tornar um desesperado perdedor. Perder, para um grande Soldado da Paz significa, embora doa, que nem os melhores podem ganhar sempre. O Soldado da Paz precisa saber separar um arranhão causado pela espada inimiga de um golpe fatal: arranhões nos ensinam, golpes fatais nos destroem.


“Deixe que primeiro o inimigo te arranhe, e cansado, você poderá lhe dar o golpe fatal”

Thiago Mendes