quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Viver é como andar de bicicleta


- Tudo pode ser um Sinal do Universo. Viver é como andar de bicicleta. Exige equilíbrio, concentração, treino e muita coragem para começar. Temos que ter coragem para dar a primeira pedalada. No barco, a primeira remada; em um carro, a primeira partida – a primeira marcha; no amor, o primeiro beijo; na fé, o primeiro desafio. E mesmo com toda concentração ainda encontramos alguém para trombarmos em alguma noite chuvosa da vida.


Retirado de "AS COISAS QUE A VIDA ESQUECEU DE ME ENSINAR" 2009 - THIAGO MENDES

Nascemos para ser...




Deus nos criou para ser repletos da imagem e da semelhança amorosa dEle. Não há nada tão parecido com Deus como o amor. Quando estamos cheio de amor, estamos cheios de Deus – cheios de semelhança com ele.
Sendo assim, então sejamos. Ser é mais importante que ter. Vamos ser mais atenciosos, mais espertos, prudentes, mais humanos e humildes. Sejamos mais observadores da vida para valorizá-la mais. Sem medo: SEJA!


Abraço Fraterno.

Thiago Mendes

terça-feira, 27 de janeiro de 2009

A TELA DA VIDA - PINTE SEM MEDO


- Na vida também nós esperamos momentos especiais para jogar tinta, lambuzar a tela, desenhar arco-íris tortos ou algumas nuvens, mas o problema é que estes momentos especiais nunca surgem então à tela de nossa existência vai passando em branco e quando acordamos já é tarde demais para pitar um quadro colorido, pois as únicas tintas que não perderam a validade foram à preta e a branca, então desistimos de pintar. É melhor gastar a tinta que nós temos hoje, e amanhã procurar novas telas em branco para pintar.


Palavras de dona Izaíra retiradas de "AS COISAS QUE A VIDA ESQUECEU DE ME ENSINAR" - 2009 - Thiago Mendes.
NOVO LIVRO

segunda-feira, 26 de janeiro de 2009

PARA TODA A VIDA

Stephen Hawking, autor de “Uma Breve História do Tempo”, e um dos cientistas mais brilhantes da atualidade, foi recentemente convidado para falar na Universidade de Stanford. Hawking é portador de uma doença que foi paralisando seus movimentos através dos anos. Hoje em dia só consegue mover seus olhos e um dedo. Para falar, usa um sofisticado computador, ligado a sua cadeira de rodas.
Com todas estas limitações, deu uma brilhante palestra, que terminou com as seguintes palavras:
“Eu usei apenas um dedo, e esta engenhoca que me faz falar tem apenas 550 palavras em sua memória. Se, mesmo assim, consegui explicar coisas tão sofisticadas como física quântica, jamais esqueçam que é absolutamente possível simplificar tudo nesta vida - principalmente nossos problemas. Que esta seja a principal lição desta tarde”.

sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

A VELOCIDADE DA VIDA: Leia enquanto pode


“Santo homem”, disse um noviço para o abade Pastor: "tenho o coração cheio de amor pelo mundo, e a alma limpa das tentações do demônio. Qual o meu próximo passo?”
O abade pediu que o discípulo o acompanhasse na visita a um doente que precisava de extrema-unção. Depois de confortarem a família, o abade reparou que, num dos cantos da casa, havia um baú.
“O que tem dentro deste baú?”, perguntou.
“As roupas que meu tio nunca usou”, disse o sobrinho do doente. “Sempre pensou que ia surgir a ocasião certa para vesti-las, mas elas terminaram apodrecendo ali dentro”.
“Não esqueça aquele baú”, disse o abade Pastor para seu discípulo, quando saíram. “Se você tem tesouros espirituais no seu coração, coloque-os em prática agora. Ou eles apodrecerão”.
Fique atento, a vida anda mais rápido que a nossa consciência em relação a ela.

Thiago Mendes

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

QUANDO UM GOLPE SE TORNA PRECISO


Um verdadeiro Soldado da Paz aprende a não esperdiçar golpes, mas é claro que isso não vem logo de uma vez. Até o Soldado da Paz chegar ao nível de não precisar mais jogar fora nenhum golpe, muitos golpes já terão sido esperdiçados.

Quando ainda jovem, qualquer Soldado da Paz gosta de golpear o tempo todo, pra mostrar que possui força; são muitos golpes para pouco resultado. Com o tempo e os treinamentos, o Soldado da Paz vai diminuindo a quantidade de tentativa e aumentando o número de acertos.

É preciso tomar cuidado, pois passar o tempo todo dando golpes é bobagem, mas também passar a vida toda sem dar nenhum é esperdício.

O bom senso cabe em qualquer lugar e em qualquer hora.


Abraço Fraterno,


Thiago Mendes

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

SOBRE O PLANEJAMENTO




Cada um de nós sabe a maneira de realizar melhor seu trabalho. Só quem tem realizado uma tarefa conhece as suas dificuldades.
O escritor G. Bernard Shaw notou um grande bloco de pedra na casa de seu amigo, o escultor J. Epstein.
“O que você vai fazer neste bloco?”, perguntou Shaw.
“Não sei, ainda estou decidindo”, respondeu Epstein.
Shaw ficou surpreso: “quer dizer que você planeja sua inspiração? Não sabe que um artista tem que ser livre para mudar de idéia quando deseja?”
“Isto funciona quando - ao mudar de idéia - tudo que você precisa fazer é amassar uma folha de papel que pesa cinco gramas. Mas quando você lida com um bloco de quatro toneladas, tem que pensar diferente”, foi a resposta de Epstein.

Receba meu carinho e minhas orações,

Thiago Mendes

segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

As segundas cartas trocadas por Miguel e Dináh


“Mais de dois meses já se passaram desde a primeira vez que nos vimos e agora sinto que o epicentro do furacão já passou. Meu trabalho agora é juntar o que sobrou de meu coração e tentar esquecer o seu olhar que me persegue minuto após minuto. Queria que a estrada da vida fizesse uma curva e me levasse até você – mais sei que isso não irá acontecer - não agora! É bobagem lutar contra o destino e quando ele quiser que isso aconteça, com toda certeza irá acontecer. Os Sinais irão te trazer até mim!”.

Minha resposta estava dentro do mesmo envelope:

“O sofrimento acontece quando o amor e o destino seguem por estradas diferentes; quando o amor tenta unir e o destino tenta separar ficamos no meio de uma batalha destas duas forças. Sinto sua falta, embora jamais tenha sentido sua presença. Sinto saudades do seu abraço, embora jamais tenha o experimentado. A vida escolheu nos separar é melhor nos conformarmos com isso. Eu sou uma menina qualquer de uma cidadezinha distante; você é um belo rapaz que vive na cidade grande. Um dia irei estudar aí, mais até lá a cidade já será grande demais para que nossas avenidas passem se cruzar”.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Um homem mau, o inferno e a teia de aranha – leia.


Malba Tahan nos conta a história de um homem mau que, ao morrer, encontra com um anjo na porta do inferno. O anjo lhe diz: “basta você ter feito alguma coisa boa nesta vida. E esta coisa boa lhe ajudará”.
O homem responde: “Nunca fiz nada de bom nesta vida”. “Pense bem”, insiste o anjo.

O homem então se lembra que, certa vez, enquanto andava por uma floresta, viu uma aranha no seu caminho, e deu a volta, evitando pisá-la. O anjo sorri e um fio de aranha desce dos céus.
“Tente subir por este fio”, diz o anjo.
Será que foi suficiente para ele conseguir subir?


A verdade é que ninguém pode subir por mérito próprio. Jesus é a teia que pode levar toda a humanidade ao Paraíso. Não importa quantas aranha ou pessoas ajude, a salvação é pela Graça e é de graça.

Receba meu carinho.
Abraço Fraterno,


Thiago Mendes

quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

PARTE DO NOVO LIVRO - LEIA COM ATENÇÃO!


“Precisamos tomar muito cuidado com as sementes que plantamos no decorrer de nossas vidas", começou. "A Bíblia diz que tudo que plantamos, certamente colheremos. Sejamos cuidadosos no modo de tratar as pessoas; vamos tratá-las exatamente como gostaríamos de ser tratados por elas. Vamos sorrir mais para todos que nos cercam; isso alegra e embeleza o Universo. Vamos tentar ser mais compreensivos com os outros, vamos amar mais, respeitar mais a todos, nos apegar mais ao bem, fugir do mal, vamos nos importar menos com os bens materiais – eles acabam muito rápido. Vamos abandonar de vez a vaidade desta vida – ela é como o vento que vai para onde não podemos ir. Sejamos mais doces, e antes de tentar dominar os outros com nossas megalomanias – que possamos nos dominar. Podemos fazer de tudo para ser um pouco mais justos, a justiça é algo bom aos olhos de Deus. Vamos fazer de nossos corações uma boa terra para quando o semeador passar, encontrá-la preparada para receber a semente ideal. Tenho certeza que podemos ouvir as crianças com mais atenção e dar crédito ao que elas dizem. A vida é simples e não há nenhuma necessidade urgente de complicá-la".



Palavras de LeviAmon de "AS COISAS QUE A VIDA ESQUECEU DE ME ENSINAR" - Thiago Mendes - 2009.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

AS COISAS QUE A VIDA ESQUECEU DE ME ENSINAR


“Ontem à noite descobri que a eternidade cabe em dez minutos. Descobri que a beleza de um mundo inteiro pode se concentrar em apenas uma pessoa e que existe um olhar capaz de iluminar um Universo inteiro. Foi tão rápido, foi tão eterno. Foi tão frio e intensamente aquecedor. Achei tão pesado e ao mesmo tempo tão leve. Tão amargo e ao mesmo tempo tão doce que pude sentir o adocicado em meus lábios. Ao mesmo tempo em que me trouxe guerra, conflitos e angústia, foi mais pacificador que uma longa oração. Gostaria de ter mais uma eternidade, se não for possível, posso aceitar mais dez minutos e o desafio e transformá-los novamente em minutos eternos”.


Bilhete encontrado por Dináh na porta de sua casa dois dias depois de conhecer o escritor LeviAmon.


Do livro "As coisas que a vida esqueceu de me ensinar" - Thiago Mendes - 2009

terça-feira, 13 de janeiro de 2009

QUAL O TAMANHO DO SEU MUNDO?



A carpa japonesa ( koi) tem a capacidade natural de crescer de acordo com o tamanho do seu ambiente. Assim, num pequeno tanque, ela geralmente não passa de cinco ou sete centímetros - mas pode atingir três vezes este tamanho, se colocada num lago.
Da mesma maneira, as pessoas tem a tendência de crescer de acordo com o ambiente que as cerca. Só que, neste caso, não estamos falando de características físicas, mas de desenvolvimento emocional, espiritual, e intelectual.
Enquanto a carpa é obrigada, para seu próprio bem, a aceitar os limites do seu mundo, nós estamos livres para estabelecer as fronteiras de nossos sonhos. Se somos um peixe maior do que o tanque em que fomos criados, ao invés de nos adaptarmos a ele, devíamos buscar o oceano - mesmo que a adaptação inicial seja desconfortável e dolorosa.


Com todo carinho,


Thiago Mendes

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

AS COISAS QUE A VIDA ESQUECEU DE ME ENSINAR


Não imagine que a vida tenha te ensinado tudo sobre ela. Sim, não ouse cair em tamanho erro de pensar que ela descobriu todos os seus mistérios e colocou diante de você. Nós só sabemos aquilo que nos foi permitido saber e se rebelar contra tudo e desejar saber mais do amor do que ele quis nos ensinar, ou da morte – mais do que ela quis revelar de si mesma é bobagem. Nós só conhecemos a praia, não as profundezas do mar. Podemos ver as estrelas, mais não o infinito que as cerca. Podemos até ousar falar em Deus, mais não conhecemos os grandes mistérios que o que o envolve como ser Infinito.

Ainda há muito a ser revelado.

No meu próximo livro “AS COISAS QUE A VIDA ESQUECEU DE ME ENSINAR” sentaremos juntos e falaremos um pouco mais sobre estes mistérios. Aguarde!

Com todo carinho,

Thiago Mendes

sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

SER FELIZ É UMA BENÇÃO

Quando todas as estradas estiverem bloqueadas, construa um atalho. Quando o Céu se escurecer instantaneamente, tenha uma lanterna para que seu caminho continue iluminado. Quando o cansaço vier, peça ao seu corpo para suportar alguns passos a mais, a vitória já estará próxima. Quando o medo assombrar seu coração, olhe para os lados e descubra que não está só.
A vida é pra você!

Que Deus abençoe todas as suas decisões.

Abraço Fraterno,

Thiago Mendes

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009

E O FAZER SE EU FOR CRITICADO?



Ainda jovem, Beethoven resolveu escrever alguns improvisos sobre musicas de Pergolesi. Dedicou-se durante meses ao trabalho, e finalmente teve coragem de divulga-lo.
Um crítico publicou uma página inteira num jornal alemão, atacando com ferocidade a música do compositor.
Beethoven, porém, não se abalou com os comentários. Quando seus amigos insistiram para que respondesse ao crítico, ele apenas comentou:
- O que preciso fazer é continuar meu trabalho. Se a música que componho for tão boa como penso, ela irá sobreviver ao jornalista. Se tiver a profundidade que espero que tenha, ela irá sobreviver ao próprio jornal. Então, se este ataque feroz ao que faço for lembrado no futuro, será apenas para ser usado como exemplo da imbecilidade dos críticos.
Beethoven estava certíssimo. Mais de cem anos depois, a tal crítica foi lembrada num programa de rádio em São Paulo.

quarta-feira, 7 de janeiro de 2009

APRENDENDO A RECONSTRUIR




Um monge chega para o abade e pede para que lhe ensine o que é a vida.
O abade o conduz para a adega do mosteiro, pega uma bela garrafa e mostra: “isto é a vida espiritual”, diz, e atira a garrafa no chão.
Em seguida, pega uma outra garrafa: “isto é a vida material”, diz, e também atira no chão.
Finalmente, pega uma terceira garrafa: “isto são seus semelhantes”. E a quebra.
“Pegue uma vassoura e junte tudo em uma só pilha”, diz.
O monge obedece. Então o abade estende para ele uma lata de cola. “Agora, reconstrua apenas uma garrafa. Talvez seja um pouco difícil, mas isto é a vida.



É impossível viver sem aprender a arte de reconstruir. Sempre há tempo para recomeçar e reescrever mesmo que isso pareça impossível.

Reconstrua,

Thiago Mendes

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

VOCÊ É O QUE VOCÊ ACREDITA QUE É



Aos cinco anos de idade, Glenn Cunninghan sofreu sérias queimaduras nas pernas e os médicos não tinham esperanças de sua recuperação. Todos achavam que ele estava condenado a passar o resto da vida na cadeira de rodas.
- Nunca mais vai andar - diziam. - Não há a menor chance.
Glenn Cunningham não deu ouvidos aos doutores e prometeu a si mesmo que voltaria a andar. Preso ao leito, com as pernas finas cobertas de marcas vermelhas, Glenn jurou:
- Semana que vem vou sair da cama! E foi o que ele fez.
Sua mãe conta que chegava à janela e via as tentativas de Glenn. Apoiado num velho arado no quintal, ele punha as pernas deformadas para funcionar. A cada passo, a cada dor, recomeçou mais decidido.
- Sempre acreditei que conseguiria andar. Logo estava andando depressa e começando a correr. Os médicos viam as minhas pernas, mas não o meu coração. Agora vou correr mais rápido que qualquer pessoa.
E o foi o que fez.
Tornou-se um grande corredor. Em 1934, bateu o recorde mundial e foi homenageado como atleta do século no Madison Square Garden.

"Quer você pense que pode todas as coisas, quer você pense que não pode nada; não importa, de qualquer maneira você está completamente certo"

Eu creio que você pode!


Abraço Fraterno,


Thiago Mendes

segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

O amor é como o vento



As primeiras cartas trocadas por Dináh e Miguel....


“O amor é como o vento: não podemos vê-lo, mais podemos senti-lo. Às vezes surge leve, refrescante. Outras vezes se manifesta com agressividade e destrói grande parte de nossos corações. Apenar de perigosos, o amor e o vento são essenciais para a vida. E foi justamente isso que senti em uma festa de aniversário. Um vento, que ainda não sei se foi leve ou se foi um furacão; pois na verdade ele ainda não passou e talvez jamais irá passar”.

Quando a primeira carta chegou me senti ridícula e tive raiva de mim mesma. Não poderia ter deixado ir àquele que tinha tudo para ser o amor da minha vida. Resolvi responder à carta. Eu não podia parecer fácil, mais talvez eu tenha me parecido tão difícil que o tenha feito desistir.
Até hoje tenho a cópia da resposta que lhe enviei.

“Sim, o amor é como o vento que passa pelo chão de nossa vida e sempre que passa deixa um terrível estrago. Eu não me sinto preparada para enfrentar algo tão forte, e todo amor - como o vento, passa. É como descobrir que o Bicho Papão não existe; é só fechar os olhos imaginar um belo dia ensolarado com flores e um arco-íris e ele desaparece, a tempestade passa. Espero que desta vez não deixe nenhum estrago no jardim de meu coração”.




Lembre-se: O amor e o vento seguem para a mesma direção - o desconhecido!

Sobre a vida e o momento!

Tudo nessa vida é emprestado, usual, casual, transitório, passageiro, efemeramente temporal, enfim - somos inquilinos prestes a sermos ...