segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

As segundas cartas trocadas por Miguel e Dináh


“Mais de dois meses já se passaram desde a primeira vez que nos vimos e agora sinto que o epicentro do furacão já passou. Meu trabalho agora é juntar o que sobrou de meu coração e tentar esquecer o seu olhar que me persegue minuto após minuto. Queria que a estrada da vida fizesse uma curva e me levasse até você – mais sei que isso não irá acontecer - não agora! É bobagem lutar contra o destino e quando ele quiser que isso aconteça, com toda certeza irá acontecer. Os Sinais irão te trazer até mim!”.

Minha resposta estava dentro do mesmo envelope:

“O sofrimento acontece quando o amor e o destino seguem por estradas diferentes; quando o amor tenta unir e o destino tenta separar ficamos no meio de uma batalha destas duas forças. Sinto sua falta, embora jamais tenha sentido sua presença. Sinto saudades do seu abraço, embora jamais tenha o experimentado. A vida escolheu nos separar é melhor nos conformarmos com isso. Eu sou uma menina qualquer de uma cidadezinha distante; você é um belo rapaz que vive na cidade grande. Um dia irei estudar aí, mais até lá a cidade já será grande demais para que nossas avenidas passem se cruzar”.