segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

O evangelho da alma!

Uma carta aos amigos pastores
A grande maioria de nós, pastores e pastoras de igrejas, sofremos com um problema que deve ser levado a sério: falamos muito e ouvimos pouco. Às vezes temos que pregar várias vezes ao dia para muitas pessoas e o pior é que nem sempre estamos preparados para tantas palavras. É aconselhamento pela manhã, visita à tarde, uma pregação à noite e isso sete dias por semana, nos esquecendo que até Deus descançou. Será que nós também não necessitamos e merecemos? Em alguns momentos mesmo sem ter nada à dizer, somos quase “obrigados”, ou pela falta de pessoas que possam nos ajudar na obra ou até pela dificuldade que temos de dividir funções na igreja. O grande problema que se instala é que além de nos enfrequecer pelo fato de falar muito e ouvir pouco, nossas ovelhas também vão se enfraquecendo na medida em que a qualidade do alimento diminue. Igreja enfraquecida, pastor triste e frustrado! Só que ao invéz de procurarmos ajuda e apoio em algum servo ou serva de Deus que possa nos direcionar, geralmente começamos a pregar o “evangelho da alma”, despejando nas ovelhas os nossos sentimentos, o cansaço causado pelo excesso de trabalho, nossas lutas financeiras, e o rebalho que já está fragilizado pela falta de qualidade do alimento vai à quase ruína total e só não é aniquilado completamente por causa da misericórdia de Deus. Muitos pastores estão erroneamente anunciado o evangelho amargo de suas lutas diárias e, sem ter com quem desabafar, muitas vezes desabafam nos púlptos das igrejas que, em razão disto, adoecem cada vez mais. Devemos entender que caminhar sozinhos é um grande erro. Quanto mais isolados e solitários, mais pregadores do evangelho da alma nos tornamos. Precisamos ter amigos, de preferencia outros pastores, com quem possamos nos abrir e nos fortalecer. A igreja suga muito: nosso psicológico, espiritual, familiar, nosso tempo, e dificilmente algum irmão vem até nós para nos perguntar se estamos precisando de alguma coisa. Alguns acham eu somos anjos! Mas a verdade é que somos gente; que sofre, que chora, que tem fraquezas, necessidades em todas as dimenções da existência humana, carências, medos.  Há pastores que estão com seus casamentos arruinados, com suas vidas afundadas e não têm ninguém com quem possam simplesmente e pelo menos se abrir. Meus amigos pastores, é tempo de sair da caverna, criar laços e buscar novos relacionamentos com pessoas que nos aproxime do propósito de Deus. Fazer amigos é um grande remédio para quem está no altar ajudando a todo mundo, mas que muitas vezes não tem ninguém com quem possam contar de verdade. Ter alguém a quem possamos chamar de “meu amigo” é muito importante para quem vive para levantar os outros, afinal há um amigo mais chegado que irmão.

Thiago Mendes

Escrito originalmente para a Revista Golpel Plus.

Nenhum comentário: