terça-feira, 25 de outubro de 2011

Sobre flores, sorrisos e a voz do coração!

Meu coração estava calado há dias e parecia não mostrar nenhum interesse em se comunicar comigo. Eu já havia ouvido explicações sobre isso. "Quando o coração se cala", disseram, "duas coisas podem estar acontecendo: ou ele está falando, mas nos tornamos incapazes de compreender a sutileza de sua voz, ou tentou tanto se comunicar sem sucesso que acabou desistindo". Começo a entrar em desespero. Entrego-me aos exercícios de meditação. Fico em silêncio o máximo que posso, procuro ajuda de alguém mais sábio. "Esta é uma batalha que precisa ser vencida sozinha", é o único conselho que recebo. Tento iniciar um diálogo comigo mesmo. Não há resposta. Saio sem direção. "Você já sorriu para alguém hoje?”, leio na traseira de um caminhão. Eu estava mau-humorado demais para sorrir sem motivos. "Amigo, compre flores e leve para sua esposa", oferece um ambulante mostrando um buquê sem nem mesmo receber o meu olhar de volta. Ele não sabia que eu não estava para flores naquela manhã. "É por isso que não posso me comunicar com você", ouço baixo. "Está tão viciado às formas antigas que não consegue perceber os mais variados idiomas que posso usar. De agora em diante procure observar melhor o mundo que o cerca", diz silenciosamente. Volto correndo. O vendedor de flores não está mais lá. O caminhão também já se foi. Fico eu, minha vontade de não errar mais e a certeza de que há oportunidades que jamais voltarão. O verdadeiro Soldado da Paz sabe que entender a voz do coração é discernir o que a vida deseja me ensinar.

Thiago Mendes


Nenhum comentário: