terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Sobre o chão, a vida e a fé!

Senhor, os redemoinhos parecem ter realmente passado. Não foi fácil, alguns estragos ficaram, mas nos momentos mais críticos, me apeguei ao que me ensinastes e permaneci de pé. Vencemos esta batalha, mas sei que ainda falta muito para que possamos dizer que vencemos a guerra. O que te peço hoje não é o fim da luta - esta é a prece feita pelos covardes. Mas digo do fundo do meu coração que precisamos de uma trégua. É necessário curar alguns ferimentos, tomar um fôlego, dormir um pouco sem a impressão de que estamos sendo observados, enfim: precisamos de alguns momentos para renovar as forças e, assim, certamente voltaremos mais fortes para o bom combate. Peço que me ajude em minhas fraquezas e que aquelas feridas, sabe? Que elas sarem logo. Sim, meu Senhor, elas às vezes ainda doem e sei que o remédio és Tu. Eis-me aqui, não quero, nem irei fugir da minha missão, mas peço que me ajude a cumpri-la da melhor maneira possível. Pois sei que aqueles que saem feridos para a batalha, acabam machucando companheiros. Ah, meu Senhor, livra-me de fazer o mal a qualquer pessoa, muito menos àqueles que dividem comigo o mesmo chão, a mesma vida, e a mesma fé.

Thiago Mendes 

Nenhum comentário: