quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Sobre o milagre do nascimento!


O Soldado da Paz não quer empurrar para o abismo, aqueles a quem ele mesmo ajudou a tirar de lá. Ouve uma época em que ele começou a sentir-se incomodado com o excesso de pão na mesa daqueles que ele mesmo ajudou a sustentar, e isto, lhe fez muito mal. Não é porque fomos responsáveis por ajudar na cura de ferimentos do passado, que temos o direito de causar outros, no presente. Aquele que salva, também deve guardar. Não é sinal de fraqueza se em algum momento tivermos que viver sob a luz daqueles que um dia retiramos das trevas; pelo contrário, é sinal de que o nosso trabalho valeu a pena. Valeu arriscar-se, comprometer-se, sacrificar-se. Não somos donos de ninguém. Lançamos as sementes na terra e, que elas cresçam e sejam capazes de alimentar desconhecidos. O milagre do nascimento não é realizado por nós. O mais importante agora são aqueles que, passando por ali, tem com o que se alimentar. O Soldado da Paz planta, mas não se preocupa e escrever seu nome nas sementes.

Thiago Mendes

Nenhum comentário: