terça-feira, 6 de novembro de 2012

Sobre o céu de bronze!


Ao acordar pela manhã o arqueiro nem sempre sabe que direção tomar e, faltando-lhe luz, faz uma prece, mas, às vezes, seu anjo não aparece para lhe trazer respostas. “Estou sem luz e sem direção”, clama entre soluços. “Até quando o céu permanecerá de bronze?” O silêncio prossegue. O arqueiro é obrigado há começar seu dia sem saber direito o que irá fazer. Então segue o seu instinto. Faz uma coisa aqui, outra ali e, pouco a pouco vai percebendo que tudo está dando certo e algumas lições importantes vão sendo aprendidas. No final da tarde, quando está chegando a casa, seu anjo está de pé na porta. “Desde o momento que me chamou eu ouvi, mas não pude vir”, o anjo se justifica. O arqueiro questiona: “E quem impediu que viesse? O inimigo?” “Não”, responde o anjo, “foi Deus”.

Thiago Mendes

Nenhum comentário: