quarta-feira, 18 de julho de 2012

Sobre a infância perdida!


Estes dias resolvi ir à procura de uma parte minha que ficou perdida no passado. Percorri os quintais abandonados e tentei escalar as mesmas árvores da minha infância - agora já velhas e desgalhadas - mas não encontrei nada a não ser algumas peças enferrujadas de brinquedos que não se lembram mais de mim. Levantei as saias dos mesmos cafezais que um dia serviram de esconderijo, fiz as mesmas trilhas da minha imaginação, mergulhei nos mesmos córregos – em vão! O pior aconteceu: o tempo passou rápido demais, voou desajeitado como um filhote de pássaro que ganha os céus pela primeira vez e se foi para nunca mais voltar. O menino morreu. Nem mesmo ajuntando todas as peças do quebra-cabeças e tentando reconstruir a paisagem colorida, seria possível trazer aquele mundo de volta. Tornei-me escravo da realidade e, portanto, incapaz de encontrar a infância que deixei passar. Será que rabisquei todas as folhas que poderia? Subi em todas as árvores que suportariam meu peso? Dei todas as cambalhotas e fiz todos os gracejos que conseguiria? Talvez sim! Mas isto não impede que, de vez em quando, a saudade venha pra tentar levar-me de volta a este mundo que simplesmente não existe mais.

Thiago Mendes

Nenhum comentário: