quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Sobre a vida de alpinista!

Ser alpinista deve ser muito bom. Na verdade alpinismo deve ser um um dos esportes mais emocionantes que existe. A escalada lenta, milimétrica, calculada e perigosa; a emoção de ver um mundo inteiro ficando lá embaixo, a sensação de saber que a vida está literalmente por um fio, a subida a qualquer custo e a qualquer preço, e finalmente o objetivo alcançado e lá de cima a vista que é capaz de pagar cada centavo de esforço praticado. O problema é que há também outro tipo de alpinista: os existenciais. Aqueles que pra “subir na vida” são capazes de pisar em qualquer um sem o constrangimento de saber que seu sucesso depende do fracasso de outro. Para este tipo de alpinista, geralmente a paisagem final não é tão bela nem tão inspiradora quanto a daquele que sobe montanhas e fere o próprio corpo para alcançar seu objetivo. Na verdade, o alpinista existencial quer chegar ao topo com as feridas dos outros. Chegar lá no alto é bom. O problema é que na vida nem todas as estradas que levam ao topo são capazes de nos manter lá em cima!

Thiago Mendes

Nenhum comentário: