sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Sobre o jogo da vida e seus torcedores!

Na arquibancada de nossas vidas há vários torcedores. O estádio está lotado. A maioria destes torcedores não sabe direito se deseja que joguemos bem ou mal. Estão ali para ver o espetáculo – querem assunto para o dia de amanhã. Eles desejam participar dos comentários após a partida e deixarem suas opiniões quase sempre distantes da realidade. Mas no jogo da vida, o Soldado da Paz não joga para agradar a torcida; ele faz seus lances, aproveita as oportunidades, e bate sua bola. Ele sabe que os torcedores, por mais vibrantes que sejam, dificilmente poderão influenciar no resultado final da partida. Ele já tentou agradá-los e quanto mais jogava para eles, mais perdido se tornava em si mesmo. Foi aí que alguém lhe explicou: “A opinião das pessoas a seu respeito não podem influenciar em seu trabalho. Siga em frente; se estiverem te amando, ou odiando, isto pouco importará. Preocupe-se apenas em oferecer o seu melhor”. A partir daí o Soldado da Paz começou a entrar em campo sem olhar para as arquibancadas. E quando perde, fica triste, reclama consigo mesmo e troca opiniões com os companheiros. Quando vence, sua alma vibra: sorri com os demais jogadores, comenta lances específicos e não nega sua importância na partida, mas sabe que quem leva a Espada Sagrada baseado nos aplausos que ocasionalmente podem surgir encerrará sua carreira frustrado.

Thiago Mendes

Nenhum comentário: