quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Sobre a hora da nossa morte, amem!

Um dia chegará o momento em que seremos obrigados a partir. Nossas desculpas e tentativas para permanecer aqui se esgotarão, já teremos tentado de tudo, feito todos os remendos possíveis, e então, inevitável e irremediavelmente terá chegado à hora. Não há bagagem, talvez nem tempo para despedidas, apenas a ordem de partir. A morte é difícil e quase inaceitável porque estamos tão presos a tudo o que só existe nesta dimensão, aqui neste lado do rio, que nos sentimos incapazes de viver sem tudo o que chamamos de “nosso”. Não! Não temos nada por aqui. A vida nos emprestou coisas e pessoas que nos são úteis e devemos cuidar destas coisas e amar estas pessoas enquanto estamos por aqui, mas sem nunca cair no erro de achar que tudo isso é “nosso”. O Soldado da Paz precisa saber que todos nós devemos estar preparados para a partida, pois lá deixaremos o que temos, para viver apenas o que somos.

 Thiago Mendes

Nenhum comentário: