segunda-feira, 5 de agosto de 2019

A sortuda e a miserável!

Já viveu tanto, mas segue a impressão de não ter experimentado nada. Falta emoção, sobra tédio e, para todos os lados que olha - tudo igual. Falta coragem pra tomar as decisões que gostaria. Falta forças pra reagir contra uma vida que parece injusta e sem sentido. Está no vale das indecisões: “Se eu fosse mais despojada, se alguém me visse mais de perto; e se eu gritasse contra tudo e todos?!”. São só ensaios de uma rebelião que  provavelmente nunca virá. Os anos passam, mas é como se para ela o mundo não girasse. Tudo segue igual: raso, chato, solitário e inexplicavelmente sem sentido. Para os outros, a sortuda. Para si, a miserável. 



Thiago Mendes 

Nenhum comentário:

A sutileza!

Não é ‘‘no braço’’, é no abraço. Não é a força do golpe, mas a habilidade de bater sem abater. Quando alguém precisa gritar pra ser ouvido,...