terça-feira, 29 de janeiro de 2019

A batalha sem “fins”!

Aqui da janela vejo almas aflitas enfrentando tempos difíceis numa batalha sem fim e sem fins.  Vejo corpos exaustos que clamam por trégua e um pouco de paz. A mulher ao telefone, o homem na bicicleta, o motorista no sinal, o malabarista que o distrai em busca de trocados - todos fitando o mesmo lugar: nenhum. Os olhos são vagos, sem vida - desprovidos de emoção - coisa de gente inserida numa batalha sem fim. Sem fins. E eu aqui da janela – sem fim.
Thiago Mendes

Nenhum comentário:

A sutileza!

Não é ‘‘no braço’’, é no abraço. Não é a força do golpe, mas a habilidade de bater sem abater. Quando alguém precisa gritar pra ser ouvido,...