quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Jávier, o aprendiz, e Álih, seu guia, estão meditando quando aparece um sujeito já de meia idade que faz uma pergunta ao velho: “Santo homem, como me aproximo de Deus? O velho sorri. “Divirta-se. Louve o Criador com sua alegria”, foi a resposta. Os dois continuaram a meditar. Logo, um jovem aproximou-se: “O que faço para me aproximar de Deus?” O velho fecha a cara e fala com rispidez: “Não se divirta. Leve uma vida de sacrifício e renúncia”. Quando o jovem partiu, o discípulo comentou: “Não me parece honesto dar respostas diferentes a perguntas iguais”. O velho sorri. “Nenhum dos dois irá seguir meu conselho a risca. O homem de meia idade já está perdendo as forças, não tem muito ânimo, talvez minhas palavras motivem-no a se alegrar nestes seus últimos anos. Já o rapaz está cheio de energia, com isso, pode cometer exageros. Talvez minhas palavras ajudem-no a se equilibrar um pouco. “Assim, com um pouco de sorte, ambos encontrarão um lugar sagrado chamado equilíbrio”.

Nenhum comentário: