sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Sobre amor e gratidão!


É verdade que o Soldado da Paz estava exausto, mas para ele, cada passo valia a pena. Havia aprendido sobre concentração quando cruzou com o homem do arco; e depois, as poucas palavras com a mulher que colocava roupas no varal e dizia conversar com a própria alma o levaram a um novo nível espiritual. Agora o guerreiro que tenta fugir de seu destino se aproxima de algumas montanhas altas e imponentes. Entre os paredões de pedra, ele avista uma pequena casa e decide se aproximar. Já é finalzinho de tarde, o guerreiro chega bem perto para ver se há sinais de moradores. “Algumas pessoas nos fazem tão bem ao longo de nossas vidas que vão se tornando impagáveis”, diz alguém lá dentro da cabana em tom seguro. “O que devemos fazer a estas pessoas já que não podemos pagar tudo o que fizeram a nós?” pergunta alguém com voz imatura. O Soldado da Paz ouve um longo “Há sim”, suspiro, “o que podemos oferecer a estas pessoas é o nosso amor e a nossa gratidão. Não estaremos pagando, mas pelo menos as cobriremos com o melhor que nós temos”. Alguns segundos de silêncio, a voz imatura volta a falar. “Entendi o que o senhor quis dizer. Aqueles soldados que passaram por aqui hoje pareceram gratos depois que demos comida a eles e seus olhos pareciam ser cheios de amor, não é verdade?” O Soldado da Paz não espera a resposta. Ele se levanta e parte.

Thiago Mendes

Nenhum comentário: