segunda-feira, 25 de junho de 2012

Sobre as lágrimas de vidro!


Às vezes o Soldado da Paz se sente tão frágil e decepcionado com o seu passado que, para ele, chorar se torna impossível. Passou a ter lágrimas de vidro. Nestes momentos alguém bem intencionado se aproxima: “O que está acontecendo com você? Sentimos falta de seu brilho e da alegria com a qual sempre contagiou a todos”. Mas o problema não está nos olhos que choram lágrimas sólidas e cortantes, e sim, no coração que acabou por se petrificar. O Soldado da Paz se justifica. “Tornei-me incapaz de confiar nas pessoas. Já fui traído no passado e agora tenho medo de que tudo aconteça outra vez”. O amigo põe as mãos em seus ombros. “Esqueça o passado”, diz, “sempre poderemos recomeçar”. O Soldado da Paz começa a sentir seus olhos arderem. “Está doendo, não serei capaz de perdoar”. O amigo o abraça. “Cada pessoa que liberar do seu passado tornará suas lágrimas mais leves. Perdoe”. Os ombros do amigo vão se enchendo de vidro e sangue, até que milagrosamente as lágrimas começam a voltar. O Soldado da Paz se permite. O amigo estava certo: o perdão despetrifica o coração e traz de volta as lágrimas que lavam a alma. O guerreiro está novamente limpo e preparado para o combate.

Thiago Mendes 

Nenhum comentário: