sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Sobre o sono da alma

Às vezes mergulhamos em um sono profundo. Continuamos falando, comendo, vendo, dando palpites, mas fazemos tudo isto entregues a este sono mortal. Nossa alma adormece e quando isto acontece, não somos capazes de perceber as mil coisas que se processam bem aqui ao nosso lado. Não somos capazes de dar o nosso amor a quem amamos, ou a atenção devida a quem merece toda a nossa atenção. Quem está vivendo sob o sono da alma, vive no piloto automático sem ser capaz de ter uma visão crítica a cerca de suas próprias atitudes. É quando estamos dormindo que o inimigo semeia joio em meio ao nosso trigo e prejudica tudo que estamos plantando.


Desperta tu que dormes,

Thiago Mendes


Nenhum comentário: