segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Sobre a ilusão, a imaginação e a virtualidade!

Nenhum de nós pode viver apegados ao pobre mundo da irrealidade. Quem faz de si um personagem do irreal, está abrindo mão da vida que recebeu em razão de uma vida que só existe nas descartáveis relações imaginárias, ilusórias e virtualizadas! É como abrir mão da verdade pela mentira. Nunca vivemos tanto no mundo das existências irreais. Lá, neste circo colorido, os palhaços são de vento, os amores são construídos através da imagem e não da essência, os sorrisos são de plástico e os seres humanos feitos de cera. Um amor edificado apenas nas bases da virtualidade dura até que um clique os separe. Para as pobres mentes adoecidas parece tão real, embora os próprios amantes saibam que tudo não passa de uma fumaça impalpável. Gastar tempo com a mentira é jogar vida na lata do livro e vida jogada fora jamais poderá ser reciclada. Quando nos entregamos a estes mundos de Avatar, estamos na verdade querendo fugir da nossa realidade dura demais para ser vivida sem lágrimas. Mas é melhor chorar um rio inteiro aqui, neste mundo de batalhas intermináveis, do que migrar para o Universo das mentiras virtuais. Sim! É melhor chorar pela verdade, do que sorrir pela mentira!

Thiago Mendes

Um comentário:

Maura Eternamente de Cristo disse...

Que maravilhosa mensagem pastor!
A paz!