segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Razão ou coração: quem deve falar mais alto?


Temos dois tipos de pessoas: aqueles que são guiados pela razão e outros que preferem ser gerenciados pelo coração. Eu digo que precisamos ser racionalmente emocionais, ou seja: há momentos em que a melhor coisa a fazer é usar a razão mais fria, gélida e aparentemente egoísta que se possa usar. Em alguns outros momentos, precisamos deixar o coração falar mais alto, se emocionar, exagerar nas atitudes e se entregar sem medo de tal entrega.

Quando vivemos no gelado mundo das lógicas e dos cálculos sem surpresas, onde os resultados são todos matematicamente esperados, corremos o risco de nos transformar em pessoas calculistas, frias, egoístas e que só agem em função de algum interesse matematicamente lucrativo para mim.

Por outro lado, se vivemos entregues ao mundo das emoções, corremos o sério risco de nos transformar em marionetes do acaso e das circunstancias, nos entregando, nos dando e nos envolvendo demais com coisas de na maioria das vezes não é de nossa responsabilidade.

Jesus, resumiu dizendo: “Sejam simples como pombas e prudentes como as serpentes”.

Emocionalmente calculista,

Thiago Mendes

2 comentários:

Anônimo disse...

Muito legal seu blog

Anônimo disse...

É difícil não ser pura emoção...Estava anciosa pra comentar esse texto...falou muito comigo, será um exercício diário...Obrigada,pelas sábias palavras...parabéns, irmão...

Aceitação!

Finjo que não doeu, mas doeu. Finjo que já passou, que não me importo, que está tudo bem, mas não está. Meus dias alternam entre aceitação e...