quinta-feira, 20 de março de 2008

O DIÁRIO DE UM SOLDADO


Um verdadeiro Soldado da Paz acorda com o cantar do galo, faz suas preces, pega a espada e vai afiá-la do lado de fora da tenta. O dia será de grandes batalhas e o melhor a fazer é se preparar desde logo. Ele dá uma volta nas tendas dos companheiros e os chama para que o acompanhem, pois o inimigo pode estar por perto e o Soldado não quer sair derrotado. Todos se levantam, tomam rápido o café e saem para a batalha. Vão confiantes, mas não desprezam a astúcia do inimigo.
No inicio da noite todos se sentam perto da fogueira e ali contam suas histórias sobre batalhas passadas. O Soldado da Paz se levanta e diz algo que deixa todos pensando:
“Há muitas batalhas para serem travadas, muitas lutas ainda lutaremos juntos, muitos caminhos ainda trilharemos lado a lado, mas nunca se esqueçam de que nada é para sempre. Estejam preparados para o dia em que cada um irá seguir seu próprio destino, e quando isso acontecer, não se esqueçam que um soldado não é um exército inteiro. Nunca enfrentem aquilo que não podem vencer, mas nunca fujam de um inimigo que tem a mesma força que você tem. Um verdadeiro Soldado da Paz luta pela paz, mas se ele luta, nele já não há paz. Nunca estejam totalmente descansados, totalmente felizes, completamente satisfeitos, pois um Soldado da Paz entende que a vitória de hoje não garante a vitória de amanhã”.
Todos aplaudem, sorriem e alguém coloca mais lenha na fogueira, simbolizando que a conversa continua. A noite vai calada e escura, e no meio da escuridão está um pequeno exército de soldados que luta pela paz e que sonha com ela.
Às vezes um Soldado da Paz é pego quase desistindo da jornada: deixa a mochila no chão, senta à sombra de uma árvore, pensa um pouco e chega à conclusão que o melhor a fazer é continuar caminhando. A vida é uma estrada, mas não é um Caminho. Muitos passam pela mesma estrada, por caminhos diferentes.
A grande missão de um Soldado da Paz é levar aqueles que apenas existem a viverem de verdade. Ele às vezes fracassa, cansa, chora, mas nenhum sentimento pode ser maior que sua missão. Lá vai ele, sempre firme ele vai, espada do lado, mochila nas costas, um pequeno pedaço de madeira em uma das mãos, caminhando pelo infinito do deserto.
Houve uma grande tempestade de areia no meio da noite, o cenário da viagem mudou mais uma vez, mas isso não importa, o destino é sempre mais importante que a estrada que usamos para chegar até ele, e um Soldado da Paz, sabe muito bem disso.

Retirado do Livro - Soldado da Paz de 2006, de Thiago Mendes

Um comentário:

disse...

Todos nós deveríamos ser soldados, mas nos prendemos tanto em nosso próprio mundo, que deixamos nosso próximo de lado.
Mas vc Thiago é um verdadeiro soldado da paz!! Continue brilhando!!