segunda-feira, 18 de maio de 2015

Sobre ajuntar os próprios cacos!

Às vezes, depois do combate, o Soldado da Paz é obrigado a ajuntar os seus próprios cacos. E aí o guerreiro gasta suas horas compridas, destes dias intermináveis tentando recuperar o que alguns ainda ousam chamar de vida. E é justamente ali, prostrado diante de todos os seus mais evidentes fracassos, que ele repensa seus caminhos e tenta se levantar. Recomeçar jamais será uma tarefa fácil. Pesam-lhe a culpa pelos erros passados, a responsabilidade de pedir uma nova chance aos companheiros e a incerteza de que realmente desta vez será diferente. Mesmo cansado e sem ânimo suficiente, o guerreiro espera pelo tempo que se arrasta indisposto. Um dia gritarão novamente seu nome. E ele dirá sim. Porque as feridas de agora serão apenas cicatrizes amanhã e elas certamente dirão: “Seja prudente, não desmereça seu adversário, valorize mais seus 
companheiros”.
Thiago Mendes

Nenhum comentário: