domingo, 1 de fevereiro de 2015

Sobre aquelas feridas que o tempo não curou!

Senhor, faltam-me forças para continuar, ânimo para me dispor e alegria em prosseguir. Os ventos vieram fortes, destruíram meus telhados, arrasaram as muralhas e levaram para longe aqueles sonhos que me mantinham de pé. Mas estou vivo. Sei que posso reconstruir. Faltam-me forças. Ajuda-me a ver motivos que justifiquem os esforços. Se possível, segure em minha mão e caminhe comigo por entre as ruínas que sobraram aqui. Talvez assim eu possa voltar a ouvi-Lo dizer: “Filho, Eu estou curando todas aquelas feridas que o tempo não foi capaz de curar. E Te dou ânimo novo para lutar, vencer e reconstruir tudo mais uma vez”. Que assim seja. Amem.
Thiago Mendes

Nenhum comentário:

Somos amor, suor e orgasmo!

Somos bondades e delitos que se entrelaçam, se aceitam e se equilibram. Os olhares, o sorriso – tudo em nós se comunica, se invade, se mistu...