segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

Sobre a mulher e a solidão!

Está frio hoje. Neste momento sinto-me tão só. Confesso que gostaria de ser mais amada, protegida e importante. Quem se importa? O mundo está tão apressado que me acho um estorvo em busca de carinho e atenção. Não quero que me olhem com pena. Só queria ser vista, mas sinto-me atropelada sem ser percebida. Afinal, porque tanta pressa? Vejo olhos assustados, cheios de pavor que buscam o nada em troca de tudo. Só queria uma boa companhia para sentar ao meu lado até a noite passar. Mas, mesmo que você não venha, ela irá passar. Se arrasta lenta, pirracenta, quase carregada. Espero que vá logo e leve consigo esta terrível solidão. E que venha o sol para que aí, finalmente, eu possa me esconder em sua sombra e em suas muitas ocupações. 

Nenhum comentário: