segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Sobre quando a alma de um guerreiro cansado pede socorro!


Hoje acordei precisando muito do seu abraço. Aquele abraço lembra? Sua presença encorajadora, suas palavras de ânimo e até o seu silêncio é capaz de pacificar a alma de um guerreiro cansado. Você sabe que o inimigo não tem dado trégua há dias e a cada golpe de espada que trocamos, pareço mais enfraquecido e ele revigorado. Confesso que gostaria de poder me esconder e chorar em silêncio, mas perdi o caminho de minhas cavernas. Neste momento meu corpo sangra e minha alma geme. Não tenho forças, não tenho ânimo e o mais perigoso: começo a duvidar se os meus objetivos realmente valem a pena. Na verdade acho que a causa é nobre - minhas maneiras é que talvez tenham se tornado desprezíveis. Luto em duras penas para manter a fé. Continuo vivo. Se algum dia estiver cruzando estes desertos, lembre-se que aqui habita um guerreiro cansado e traga-me um pouco de água. Enquanto isso vou vivendo com o que tenho. Cato meus farelos, respiro meus medos e aguardo alguém que não prometeu vir me buscar. 

Thiago Mendes

Nenhum comentário: