quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Sobre o santo, o homem bom, o justo e o leal!


Dú-Chan decidiu que iria ensinar seus alunos individualmente. As perguntas eram muitas: 
“Quem é o homem santo?” “É aquele que decidiu experimentar cada segundo da vida. Para os santos, viver é precioso demais para ser desperdiçado. Por isso decidiram não dividir a vida em anos, mas em momentos”. “Quem é o homem bom?” “É aquele que entende o valor de uma semente lançada. Os homens bons não têm medo de abrir mão. Discerniram o paradoxo que diz: a melhor maneira de multiplicar é dividindo! “Quem é o homem justo?” “É aquele que decidiu não medir conforme seus interesses e suas necessidades. Este prefere a justiça que a fartura. Acredita nas leis do Universo e sabe que uma destas leis diz que da mesma maneira em que medirmos, também seremos medidos”. “Quem é o homem leal?” “É aquele que não teme o olhar. Os homens leais não se assustam com a luz dos olhos de ninguém. Portando antes de confiar em alguém, vasculhe os porões de sua alma. Mas lembre-se: os olhos são os primeiros degraus das escadas que nos conduzem a estes porões”. “E se algum dia eu conseguir me tornar santo, bom, justo e fiel, as pessoas irão me aceitar de uma maneira melhor?” “Não, elas irão cuspir em sua cara, depois te pregarão em uma cruz”! 

Thiago Mendes

Nenhum comentário: