quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Sobre a vida, o rio, e o destino!


Não se mata um Soldado da Paz com algumas pauladas e poucos pontapés. O verdadeiro Soldado da Paz às vezes se finge de morto, solta seu corpo em água corrente, permite que o curso do rio determine o seu destino, mergulha em um profundo silêncio, e faz com que seu inimigo pense que seus dias acabaram. O Soldado da Paz nunca se preocupou com impressões momentâneas, prefere o que irão dizer os resultados finais. Enquanto seu corpo segue morto corredeira abaixo, seu espírito ganha forças que o ajudarão na reconstrução de seus caminhos. Nunca foi fácil. Não será novamente. Mas é morrendo que o guerreiro encontra a vida. É negando a vaidade dos vivos, que reconstrói sua nova estratégia e se levanta. A vida passa rápido, e é justamente por isso que sua morte também não poderá durar muito tempo. 

Thiago Mendes

Nenhum comentário: