terça-feira, 20 de novembro de 2012

Sobre ilhas, palavras e tesouros!


Novamente a tela está em branco. Diante de mim instala-se um novo desafio: o que escrever? Pego outra vez o meu barquinho e vou remando. Busco em cada ilha uma pista tentando encontrar o bom tesouro a fim de dividi-lo com vocês. E ele está sempre ali, escondido em algum lugar destas ilhas invisíveis e misteriosas. Tenho que responder sempre a mesma pergunta: “De onde vem a inspiração para escrever uma história diferente todos os dias?” Não sei! Talvez cada um de nossos personagens seja responsável pela própria história que vive. A Mulher de Fé e sua constante luta com a própria alma; os diálogos do Arqueiro e seu anjo; o Soldado da Paz e seus homens; o mestre Álih e seu aprendiz, Jávier, que encontram a sabedoria estando perdidos entre as montanhas. Cada um deles tem um pouco de nós, de nossas dúvidas e de nossos sonhos e talvez seja por isso que no Diário de um Soldado sempre encontramos algo que “era para mim”. E realmente era e é! Vou continuar encontrando tesouros e dividindo-os até que os meus braços se cansem de remar. Enquanto isso divido com vocês o que tenho encontrado. O Cristo não se enganou: O homem bom, do bom tesouro do seu coração, tira o bem. Que nós façamos assim.

Thiago Mendes 

Nenhum comentário: