quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Sobre amor, dúvida, e castelos de areia!

O amor e a dúvida não podem navegar à bordo do mesmo navio. Estão indo em direções contrárias, não se aceitam nem se suportam. O amor é convicto demais para duvidar de si mesmo. E a dúvida... Ela é incerta demais para acreditar no amor! Se amo, logo não duvido! Se duvido, logo não amo. É simples como amar, e ao mesmo tempo complexo como duvidar! Sendo assim, todas as vezes que nossa mente pergunta a si mesma: será que eu amo? O paradoxo se instala: quando o assunto é amor, a pergunta já é a própria resposta: não! Amor e dúvida não cabem dentro do mesmo coração, não viveriam juntos na mesma vida, não sonhariam juntos os mesmos sonhos e nem seriam capazes de construírem o mesmo castelo, este seria edificado com areia e ilusão. O Soldado da Paz sabe que aquele que ama está convicto demais para viver fazendo perguntas.

Thiago Mendes

Nenhum comentário: