terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Sobre amadurecer sem apodrecer!

Jávier, o jovem aprendiz, e Álih, seu guia estão terminando as lições de hoje. O jovem aprendeu sobre o amadurecimento. “Apodrecer”, explicou o velho, “é apenas o maduro que não se tornou útil”. Álih disse ainda que chega o momento em que o fruto precisa sacrificar a própria vida a fim de não se tornar podre. “Só é possível amadurecer sem apodrecer quando se cumpre seu caminho sem se rebelar contra o destino. Os frutos podres são aqueles que se esconderam no alto de sua árvore ou que se isolaram entre as folhas. Chega a hora que temos que nos liberar para que nossa existência faça sentido”. Os dois caminham até a mangueira no quintal. “Vê como as mais vistosas estão no topo?”, pergunta o guia, “estão lá porque se acham importantes demais e provavelmente mesmo sendo belas e vistosas, têm grandes chances de acabarem podres e inúteis. Quanto mais baixos nos mantemos, mais chances temos de fazer com que nossas vidas tenham sentido”. O jovem não diz nada, mas aprendeu que não adianta despertar a fome, é preciso ser capaz de saciá-la!

Thiago Mendes

Um comentário:

Giuliano Miotto disse...

belíssima reflexão... que possamos sempre estar na parte mais baixa. Abraços fraternos mano. Te amo em Cristo

Fuja das facilidades!

Duvide de tudo aquilo que propõe facilidades. Questione o que promete resultado rápido e que não fala de profundos esforços e muita renúncia...